Regente 4
Momento de dar atenção a tudo o que é prioritário. Tudo o resto deve aguardar até que estejam reunidas as melhores condições para poder avançar noutro sentido. A frequência deste número 4, que resulta da redução teosófica de 13, só voltará a surgir no horizonte no próximo mês de julho; ainda o poderemos encontrar em abril, mas totalmente oculto.

É um momento de metamorfose, de transformação de um ou mais aspetos do nosso mundo interior, com as devidas consequências no mundo da forma. Algo está prestes a transformar-se noutra coisa, porém, não sem a nossa intervenção.

Se queremos que o cenário onde se desenrola a nossa vida se transforme ou sofra melhorias, teremos que fazer novas e responsáveis escolhas (a influência do 6 ao longo de 2022 irá permanecer bem ativa, para que ninguém fique de fora desta imensa engrenagem, e possa assim fazer escolhas efetivas e adequadas para si) e depois trabalhar sobre elas até que se manifestem.

A preguiça, a procrastinação ou fingir que algo não está a acontecer, serão os agentes bloqueadores das frequências 13:4, que pretendem transformar as estruturas de base da nossa vida, da nossa psique, da nossa moral, da nossa vida interior e da nossa vida em sociedade, desde dentro, desde os alicerces, desde o zero.

Há muito trabalho para fazer e todo o tempo desperdiçado em afazeres que não nos devolvem crescimento, que não devolvem nenhum tipo de aprendizagem ou não nos permitam desenvolver e pôr em prática o que temos aprendido até aqui, será cobrado a cada um de nós, nas suas mais variadas formas.

As conclusões a que chegámos ou vamos chegando, fruto da reflexão do período anterior governado pelo 7, e da influência que este mesmo número continuará a exercer ao longo de todo o mês, já devem poder permitir alguma definição e ajudar-nos a sair daquela espécie de nevoeiro, onde temos andado perdidos nos últimos tempos.

É tempo de pôr as mãos na massa, o que há de requerer método, organização, disciplina e por consequência foco no objetivo, seja ele qual for.

Lembremo-nos que a energia segue o pensamento e que tudo aquilo em que colocamos a nossa atenção, cresce, desenvolve-se e dá frutos (quer gostemos ou não). E, a propósito, se não gostamos do que andamos a colher, será útil refletir acerca daquilo que temos andado a escolher para colocar a nossa atenção e energia.

Se precisas de ajuda para aprender acerca de foco e atenção podes invocar o Espírito Animal da Águia (ou o Espírito do teu Animal Guardião)

Eva Veigas
Numeróloga Transpessoal

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.