Depois do Inverno, do recolhimento, tudo desperta para a vida na Primavera. Carneiro representa assim este despertar para a vida, possibilidades de começo, de lançar sementes. Carneiro é o primeiro signo de fogo e o primeiro signo cardeal. Em Carneiro é libertada a energia do fogo que representa o processo de identidade, o reconhecimento do sentido do Eu através da acção. Após o período de "conservação" do Inverno, a vida desperta com a chegada da Primavera. É o nascer do dia, o acordar de todas as possibilidades que cada nascer do dia traz consigo. A casa onde aparece Carneiro no nosso mapa natal, é a área de vida onde nos precisamos de afirmar como indivíduos, onde temos de cultivar a liberdade para expressar independência, onde podemos ousar. Ao nível da Alma, o fogo de Carneiro traz as ideias criativas, cumpre a vontade do plano.

Muito se tem falado do ano de 2012 e, profecias à parte, a verdade é que no mapa da entrada do sol em Carneiro, toda a instabilidade está bem representada. O ano 2012 é regido pela lua. Lua que está em conjunção com Neptuno e Quiron e na fase balsâmica. O ascendente do mapa é Aquário que vem trazer a tónica da mudança, de um ano fora do comum. Sol, Mercúrio e o Úrano estão em conjunção em Carneiro. O regente do Sol, Marte, está em virgem retrógado. As acções de carneiro terão de ser motivadas pelo aperfeiçoamento, eliminando o que não é necessário, o que não faz falta e está a mais. As acções não podem ser mais motivadas pelo simples desejo egóico, pelo fora, pelo exterior. Têm de fundamentar-se dentro e têm de estar de acordo com a vontade da Alma. Mercúrio e Saturno também estão retrógados. Pela positiva, o mapa é marcado pela conjunção Vénus/Júpiter em trigono a Marte e Plutão.

Veja na próxima página a continuação do artigo

A Lua, regente do ano e regente de caranguejo, convida-nos a olhar para dentro de forma a curar o nosso mundo emocional. Convida-nos a perguntar de que forma é que nos relacionamos com as nossas emoções. O que é que precisamos para nos sentirmos seguros? Em que areias se movem as fundações emocionais do nosso Ser? Sólidas… movediças…? Como é que nos relacionamos com a nossa criança interior. Como é que nos alimentamos emocionalmente?

A Lua é o princípio feminino dentro de cada um de nós, independentemente do nosso sexo. Representa a nossa capacidade para nos sentirmos amados … ou não. É a nossa fundação emocional, os nossos padrões.... muitas vezes a sombra. Representa a mãe. A nossa segurança emocional. Procura sempre um sentimento de pertença e por isso mesmo, muitas vezes, gera dependências. Representa os instintos que nos levam a ser reactivos para obtermos alimento … amor.

A conjunção da Lua com Neptuno é um indicador da necessidade de transcendência, da necessidade de buscar o alimento no espiritual. Neptuno simboliza a taça para receber as águas, a compaixão. Esta conjunção é um indicador de sensibilidade… somos convidados a encontrar a mãe, o alimento, o Divino dentro de cada um de nós. Com Neptuno, a ilusão da separação do ego dissolve-se. Como dizia o Nuno Michaels na conferência “construção da Arca”, com a passagem de Neptuno por Aquário aprendemos os conceitos, com Neptuno em peixes…. temos que sentir, integrar. Temos de deixar de “pregar” a verdade e Ser verdade. Falar e dizer aos outros o que devem fazer é fácil, menos fácil é fazê-lo na nossa própria vida. Para isso, temos que limpar as nossas próprias águas. Ainda parafraseando o Nuno, estando Saturno neste momento em balança, Úrano em carneiro e Plutão em Capricórnio, ocupando assim três dos quatro signos cardeais, o que fica em falta é… caranguejo …. É curioso que este ano seja regido pela lua. No entanto, esta lua tem a tónica de peixes e de Neptuno, convida-nos a deixarmos de nadar nos nossos próprios pântanos e a mergulharmos no oceano da vida. Neptuno em peixes estimulará a nossa fé, a nossa flexibilidade e tolerância. Aparecendo em conjunção com a lua no mapa deste ano…. estimulará também a instabilidade, a falta de orientação de muitos, a sensação de estarem perdidos, sem rumo. Assim, abre possibilidade para uma reorientação, para a necessidade de alinhamento com a vontade da Alma.

Veja na próxima página a continuação do artigo

Num ano marcado pelo início da quadratura Úrano/Plutão, este equinócio pode representar, se quisermos, o Inicio de uma nova ordem. E comecemos em cada um de nós a despertar o fogo espiritual simbolizado por Carneiro, deixemos emergir a nossa auto-consciência mas com um propósito maior e para além da nossa identidade pessoal. A escolha é nossa.

Nota - Para quem não conhece a linguagem astrológica, a quadratura Úrano/Plutão começa este ano e estará até ao final de 2015. Este ano será muito activa entre maio e outubro e, principalmente em Julho, quando Marte em balança fará a quadratura em T. Esta quadratura representa a tensão e o embate de duas forças poderosas; Úrano em Carneiro - impulso renovador e revolucionário, a aceleração, a urgente necessidade de mudanças, a necessidade de integração de novos arquétipos. Plutão em Capricórnio - necessidade de regeneração da velha ordem de poder, das estruturas que não servem mais e que são incapazes de trazer evolução, quer sejam económicas, políticas ou sociais.

Vera Braz Mendes

Astróloga, coach, Master practitioner em PNL
Apoio Individual

Email: verabrazmendes@gmail.com

Tel: 91 982 24 60

verabrazmendescreateyourlife.blogspot.pt

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.