Para si, é seguramente óbvio que as estruturas de poder mundiais estão a mudar: os Governos estão em convulsão; o sistema financeiro vive em grande imprevisibilidade; a Democracia desperta no mundo árabe; Euro e Dollar combatem numa guerra invisível, que a recente polémica sobre as agências de rating veio avivar.

Em termos astrológicos, há muito tempo que se previa uma revolução deste tipo. Dir-se-ia até que é apenas o ínicio da mudança colectiva de valores necessária no planeta. Afinal de contas, os principais planetas financeiros e de poder - Saturno, Urano e Plutão - atravessam as suas maiores tensões angulares, em Signos Cardinais (Carneiro, Balança e Capricórnio) - signos de grandes impulsos de mudança.

E perguntará você "Afinal, quando é que isto acaba?". E a resposta é: não vale a pena preocupar com o fim da incerteza de poderes mundiais, porque estará em curso pelo menos até 2015, com o fim da quadratura entre Urano (indíviduo) e Plutão (poder).

A questão que se coloca é: como pode você, enquanto peça do dominó mundial, servir como catalisador das grandes alterações que o mundo precisa e que o nosso país pede?

Porque se há um novo paradigma a nascer é o do poder da individualidade e da força das redes sociais (Urano), para quebrar com a corrupção, controlo e sistemas obsoletos (Plutão).

Veja na próxima página a continuação do artigo..

Vou dar-lhe um exemplo. Em Dezembro de 2010 um vendedor de fruta tunisino revoltou-se quando pela terceira vez consecutiva uma funcionária camarária lhe confiscou a balança em troca de um imposto "sujo".

O vendedor - Mohammed Bouazizi - foi manifestar a sua indignação à respectiva instituição e, vendo que não obtinha qualquer atenção, não esteve com meias medidas: encharcou-se de gasolina e ateou a fogueira, numa auto-imolação que o levou à morte.

Este acto isolado teve tal repercussão emocional que desencadeou a total revolução política no povo da Tunísia, por sua vez propagada ao Egipto, à Líbia, etc, em escassos meses, no início de 2011.

Estava latente uma vontade colectiva no mundo árabe que, com a coragem e movimento de apenas uma peça de dominó - o vendedor de fruta - ganhou o pequeno impulso necessário para a grande revolução.

A rede social - facebook - teve um peso enorme na mobilização social que fugiu ao controlo das autoridades e permitiu que a mudança se realizasse.

E é este o paradigma moderno: se houver uma vontade colectiva legítima, é fundamental que cada indivíduo se manifeste, com os meios de comunicação ao seu dispor, pois poderá ser o detonador de um movimento global imparável que reponha a justiça.

Por isso, atitudes que alguns portugueses tiveram recentemente, a reclamar o papel duvidoso das agências de rating norte-americanas na economia europeia vieram despertar a reacção europeia em cadeia, tornando evidente que afinal muita coisa está mal, desde há muito tempo, nas regras de jogo financeiras.

Veja na próxima página a continuação do artigo..

As mesmas agências foram co-responsáveis pela crise que começou em 2008, incentivando compra de acções de empresas (como Lehman Brothers) que faliram no dia seguinte, sabendo do seu estado.

Então apenas quando um pequeno país como Portugal levanta o dedo - "isto é mesmo injusto" - havendo inclusivamente um movimento popular concertado de ataque ao website de uma dessas agências - é que os "grandes" líderes europeus começam a acordar da sua letargia política.

Mesmo que anteriormente tivessem acontecido manifestações transnacionais dos "Indignados" com a situação financeira global, ainda não tinha ocorrido uma reacção política à questão óbvia das agências privadas.

Por algum lado a verdade tem que se revelar. Por isso é importante que cada português se manifeste oportunamente sobre o que concorda ou não, na governação do seu país, da União Europeia e do mundo. Mesmo que seja um humilde vendedor de fruta... pode fazer toda a diferença!

É isto que significa o trânsito de Urano em Carneiro.

Um abraço,
João Medeiros

João Medeiros nasceu em 1975. Teve uma formação de base matemática, licenciando-se em Economia pela Universidade Nova de Lisboa em 1998, com distinção. Foi bolseiro Erasmus na Suécia e em França.

Trabalhou de 1999 a 2003 no Instituto Nacional de Estatística, na área de rendimentos familiares e inclusão social. Paralelamente ao seu trabalho em investigação socio-económica dedicou-se ao estudo da Astrologia, Psicologia e Esoterismo durante vários anos.

Em 2003, após ter complementado os seus estudos na Academia de Estudos Astrológicos, dedicou-se a tempo inteiro à actividade astrológica, abrangendo a consultoria profissional e formação, tendo criado o seu curso de Astrologia e variadas oficinas temáticas.

Os seus estudos englobam em profundidade diversos ramos e abordagens desta disciplina, em particular, as Astrologias Psicológica, Medieval, Esotérica, Horária e Mundana. Em 2004, publicou o livro 'Oceano Ascendente - Ciclos Astrológicos de Portugal' (Editora Pergaminho), um trabalho inovador e multidisciplinar.

Em 2006, começou a leccionar Astrologia numa Universidade portuguesa - o Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da Empresa (I.S.C.T.E) - com o seu curso independente. Em 2007 criou o CEIA, Centro de Estudos e Inovação em Astrologia. Em 2008, formou-se em Constelações Organizacionais. É formador certificado pelo IEFP.

Para além da Astrologia é praticante intensivo de Yoga, terapêuta certificado de Leitura de Alma, criador de um Tarot, terapêuta de Reiki, e praticante de Surf.

Actualmente a sua investigação principal centra-se na abordagem simbólica, astrológica e psicológica do ciclo de vida do ser humano, seguindo a linhagem de pensamento holístico do astro-filósofo Dane Rudhyar, sua principal referência nesta área.

O CEIA

O CEIA - Centro de Estudos e Inovação em Astrologia foi criado por João Medeiros, astrólogo português, em 21 de Março de 2007, no seguimento do seu trabalho nesta área privilegiada do conhecimento humano.

O CEIA pretende ser uma referência de qualidade nacional e internacional no que respeita às suas diversas actividades e serviços que abrangem a consultoria, investigação e educação em Astrologia.

- a divulgação é realizada através de artigos, seminários, eventos, palestras e livros com abordagens práticas, completas e inovadoras;

- a consultoria é dirigida a indivíduos de todos os quadrantes socio-culturais e também a organizações profissionais, como as empresas;

- a investigação segue uma orientação multidisciplinar e objectiva, integrando diversas áreas humanísticas e científicas;

- a educação compreende a Formação Dinâmica em Astrologia (Níveis 1 a 9) e oficinas independentes de integração pessoal.

O CEIA pretende participar activamente na reinterpretação da linguagem astrológica, validada por estudos de qualidade e envolvida numa profunda filosofia holística. Segue a linha ideológica de Dane Rudhyar (1895-1985), mentor da Astrologia Humanística e Psicológica.

O objectivo último do CEIA é o de contribuir para uma sociedade mais evoluída, saudável, inteligente, e que esteja integrada num conhecimento que potencie a criatividade plena de todos os agentes individuais e colectivos.

CONTACTOS:

CEIA - Centro de Estudos e Inovação em Astrologia

e-mail: ceia.agenda@gmail.com

tel: 93 4519934

Coordenação de Conteúdos:

Heloisa Miranda

email: sapozen@sapo.pt

Veja o programa SAPO Zen: zen.sapo.pt

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.