A palavra "solstício" deriva do Latim "sol sistere", que significa "sol parado" e designa o momento em que o Sol parece estar imóvel sobre a Linha do Equador porque os raios solares atingem a sua maior declinação em latitude. (Saiba mais sobre os solstícios aqui). A partir do Solstício de verão o Sol "afasta-se" do Hemisfério Norte, e por isso os dias tornam-se cada vez mais pequenos, até ao Solstício de inverno, em dezembro.

Por se terem apercebido da espetacularidade deste fenómeno, em que o Sol iluminava o Hemisfério Norte durante mais horas, erguendo-se mais cedo e pondo-se mais tarde, as civilizações antigas começaram a prestar-lhe um culto especial, e este dia, que se repete por alturas do dia 20 ou 21 de junho de cada ano, passou a ser considerado especialmente forte em termos energéticos. Tanto os Maias, como os Incas, Egípcios, Romanos e Gregos adoravam o sol e tinham os seus cultos a ele dedicados.

Os Celtas celebravam o início do verão em Stonehenge, um círculo de pedras que existe há mais de 5000 anos na Inglaterra, onde as pessoas se reúnem na madrugada deste dia para assistir ao nascer do Sol entre os pilares centrais. No calendário pagão, esta festividade chama-se Litha, e representa a celebração do Sol, da Luz e do Fogo.

Uma das tradições mais comuns nesta festividade consiste em acender fogueiras, exaltando assim o poder do Sol, chama da vida. Não é por acaso que a Igreja Católica fez coincidir esta festividade com a celebração de São João Batista, na qual existe a tradição de acender uma fogueira, sobre a qual se deve saltar para garantir o sucesso vindouro. O ritual de "saltar sobre o fogo" é um poderoso rito purificador. Em tempos antigos, eram queimados enormes rolos de palha, que se lançavam pelos montes abaixo, para assegurar a fertilidade da terra e para banir as energias negativas. O Solstício de verão celebra a vida, lembrando que o Sol fecundou a Terra e que os frutos desta união em breve estarão prontos a ser colhidos.

As fogueiras acesas atraem a boa fortuna, a fertilidade, a força e a prosperidade. Para atrair a sorte e o sucesso para a sua vida acenda uma vela nesta noite, ou queime ervas como alecrim, manjericão fresco, erva-de-são-joão.

Neste período estão em destaque a coragem e a força de vontade. O Sol dá vida a tudo e afasta a energia negativa, a escuridão, a inveja, aquilo que nos deixa em baixo. Esta efeméride evidencia a forte energia solar, sendo por isso uma data especialmente favorável à realização de rituais, principalmente aqueles que se relacionam com o amor, a paixão, a conquista do sucesso e o dinheiro. Os jovens casais costumavam saltar juntos a fogueira, para dessa forma fortalecerem os seus votos e a sua união.

Nos países nórdicos, como a Finlândia, a Noruega, a Islândia e partes da Suécia, o Solstício de verão corresponde ao chamado "Sol da Meia-noite", pois esses países assistem a 24 horas seguidas de luz solar. A atmosfera féerica deste dia que se sobrepõe à noite, cheio de luminosidade, foi desde cedo na História da Humanidade associado ao misticismo, à magia e à previsão do futuro. Até o poeta Shakespeare escreveu a conhecida peça Sonho de uma noite de verão ("A Midsummer night's dream"), que exalta toda a mística desta efeméride.

O que podemos fazer para aproveitar o Solstício de verão?

Uma vez que a energia deste dia é tão forte, aproveite para dar um novo fulgor aos seus projetos, aos seus sonhos, a um relacionamento, e a tudo aquilo que deseja ver prosperar na sua vida.

Uma vez que o Fogo, Elemento exaltado neste dia, tem um forte poder transmissor de energia, ele pode também ser usado para "queimar" aquilo que o incomoda, aquilo de que deseja libertar-se na sua vida. Entregue as suas preocupações ao fogo e veja-as reduzirem-se a cinzas.

O Fogo é responsável pelos processos alquímicos, sublimando os elementos e criando uma nova vida. É também o fogo que transforma os alimentos, cozinhando-os e criando a base do nosso sustento. Por isso, este é também o momento para "alimentar" tudo aquilo a que deseja dar forma na sua vida, o que deseja ver crescer. Como? Acenda uma vela, de preferência amarela, azul ou verde, cores associadas ao Solstício de verão, e concentre-se na chama da vela, enquanto esta arde, mentalizando os seus pedidos, que poderá dizer em voz alta ou escrever num papel, o qual poderá queimar na chama da vela ou colocar debaixo desta.

Uma vez que nesta altura do ano as plantações atingiam a sua força máxima, estando depois prontas a serem colhidas, existia a tradição antiga de colher ervas neste dia, pois acreditava-se que estas seriam mais fortes. Se tiver a possibilidade de dar um passeio no campo, componha um belo ramo, que irá proteger a sua casa.

As plantas especialmente usadas nesta celebração são a Erva-de-São-João, a salva, a menta, o manjericão, a lavanda e o girassol. Componha um ramo com elas, faça uma decoração especial para a sua casa, ou queime algumas destas ervas, deixando que o fumo purifique o seu lar.

Uma vez que a força criadora da vida está enfatizada, o Solstício de Verão é ideal para renovar os votos de matrimónio, para formalizar uma relação ou para assumir um romance.

Esta é a altura ideal para realizar rituais de proteção. Se possui um ou mais amuletos de proteção, deverá deixá-los durante todo o dia e toda a noite, para ganharem ainda mais força.

Faça o seu amuleto protetor no Solstício de verão

Junte um raminho de arruda, outro de manjericão e outro de sorva (aquele arbusto que tem muitas baguinhas vermelhas), e una-os com uma fita vermelha. Guarde tudo dentro de um saquinho pequeno, de pano branco. Deixe-o durante todo o dia no parapeito da janela, para absorver a energia positiva do Sol. Traga este amuleto sempre consigo, ao longo de todo o ano.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.