No dia em que se comemora o Dia da Europa, a Comissão Europeia reforça a sua posição de aumentar a presença feminina em cargos executivos e políticos também.

Assim, o Parlamento Europeu aprovou recentemente duas resoluções que defendem a aprovação de legislação destinada a reduzir a diferença salarial entre homens e mulheres e a aumentar a participação das mulheres nos conselhos de administração e órgãos políticos.

Na atual legislatura do Parlamento Europeu, existem 35% de mulheres mas a média europeia de representação nos parlamentos nacionais mantém-se nos 24% e apenas 23% dos ministros europeus são mulheres.

Assim e de forma a aumentar o papel feminino nas tomadas de decisão política, a CE propõe, após as eleições europeias de 2014, um homem e uma mulher para o posto de comissária/o europeia/eu.

Esta será uma forma de garante de paridade dos géneros no processo de decisão política, um problema que também surge nos cargos mais elevados, nomeadamente de administração de empresas.

Neste casos, a Comissão sugere a introdução de quotas na composição dos conselhos de administração que deverão ser de 30% até 2015 e de 40% até 2020.

Quanto à diferença salarial entre homens e mulheres, esta diminuiu ligeiramente ao longo dos últimos anos. Em média, as mulheres europeias continuam a auferir menos 17% do que os homens e apenas 12% dos cargos executivos são ocupados por mulheres, percentagem que diminui para 3% quando se trata das funções de presidente de um conselho de administração.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.