“O ano de 2022 foi assim o segundo com o maior número de ninhos destruídos, tendo sido apenas superado em 2021, quando se registaram 139. Em 2020 e 2019 foram capturados 48 e 45 ninhos, respetivamente”, explicou, em comunicado, a Câmara de Proença-a-Nova.

A captura dos 62 ninhos de vespa velutina ou asiática surgiu na sequência de pedidos endereçados pela população um pouco por toda a área geográfica do concelho de Proença-a-Nova.

Em 2022, a autarquia lançou uma campanha de apoio para compra de material de combate à propagação da vespa asiática no território.

“Para quem cumpra as condições definidas em regulamento, o município apoia, uma única vez por apicultor, a compra do primeiro ‘kit’ de harpa com 145 euros e do segundo ‘kit’ com 72,5 euros”, lê-se na nota.

A autarquia informou ainda que até dia 30 de setembro de cada ano, os interessados devem preencher o formulário de candidatura disponível no portal de serviços ‘online’ ou nos serviços municipais, e entregá-lo com a declaração de existências do ano anterior, por via eletrónica, no Gabinete de Apoio ao Empresário ou no Balcão Único de Proença-a-Nova.

“A colocação das armadilhas é fundamental para capturar as velutinas fundadoras na primeira fase do seu ciclo de vida, a partir de fevereiro. Capturar a fundadora irá impedir a formação de novos ninhos e a posterior destruição de colmeias no período de predação da vespa que decorre entre julho e outubro”.

O município apelou ainda à população para entrar em contacto com os serviços municipais “sempre que detetar um ninho de vespa asiática”.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.