A grande maioria dos problemas podológicos tem a ver com a relação entre os pés e o calçado que usamos. Na realidade, ninguém se deveria calçar em função da estética, da moda e dos custos dos sapatos, mas antes em função do conforto dos pés.

Os problemas mais comuns dos pés devem-se ao excesso de pressão nos mesmos, devido ao peso do corpo, à prática desportiva ou à escolha de sapatos demasiado moles ou demasiado duros. Por outro lado, se se produzirem roçaduras contínuas num mesmo local, aparecem as chamadas bolhas, com a consequente formação de durezas e calosidades.

As zonas mais afectadas costumam ser sobre os dedos - calos duros -, espaços intermédios, e a planta do pé - onde se formam durezas. Igualmente, o uso de um calçado inadequado e as deficiências posturais ao andar podem alterar a estrutura fisiológica óssea do pé.

Outro tipo de incómodo tem a ver com os odores. O pé, como o resto do corpo, tem mecanismos de termoregulação, que actuam através da formação de suor, para manterem constante a temperatura da zona. Os problemas podem ser devidos a excesso de sudação plantar ou à falta dela.

A pele corre então o risco de contrair dermatoses micóticas, virais ou bacterianas. Quando as bactérias se decompõem surge o mau odor. Um bom calçado permite evitar estas complicações graves nos pés.

Sapatos à medida
O principal problema dos pés na sociedade em que vivemos, é que o sapato perfeito – fabricado em série – não existe. No entanto, é possível encontrar aquele que mais se aproxima do sapato "ideal". Saiba como escolher um bom calçado, tanto para o lazer como para o trabalho:

- Tente escolher sempre o calçado adequado para o sítio em que está. Para o campo, cidade, trabalho, e tipo de desporto que pratica. Tenha em atenção também o clima, o seu peso e a forma do pé.

- O volume do pé altera-se ao fim do dia. Por isso, é preferível comprar os sapatos ao final do dia quando tem os pés mais inchados e experimentá-lo com o tipo de meias que vai usar com eles.

Saiba mais na próxima página

- Comece por experimentar o sapato pelo pé mais volumoso e comprovar que o dedo maior não doe? Atenção às costuras, não devem coincidir com uma articulação ou uma proeminência óssea.

- A forma da biqueira deve adaptar-se aos dedos do pé.

- O sapato deve sempre respeitar a harmonia entre o comprimento e a largura.

- Examine sempre a flexibilidade do sapato, os contrafortes, e a biqueira. A sola deve ser resistente, mas não muito rígida.

- A altura do salto deve oscilar entre os 9 mm e os 1.5 cm para as crianças; e os 1.5 a 2 cm para o homem e para a mulher, tendo como máximo 4 cm. O salto recomendável é o largo. Os saltos e saltinhos prejudicam o desenvolvimento dos pés e da coluna vertebral.

Evite as biqueiras finas, principais causadoras de joanetes e de unhas encravadas. Com sapatos de sola plana, o peso do corpo fica distribuído de maneira mais uniforme pela extensão dos pés. Com o salto alto, a pressão vai toda para o hállux, nome científico para o dedo grande do pé.

O resultado pode vir em diversos graus. Cansaço e dor são os mais usuais e fáceis de enfrentar, no entanto, existem outros problemas mais complicados que requerem um especialista (podologista).

- O material de eleição de um bom calçado é a pele e o couro, pois são flexíveis e favorecem a ventilação do pé.

- Os sapatos que se usam para trabalhar devem ter algumas características importantes e devem ser desenvolvidos sobre alguns critérios ergonómicos. A sola deve proporcionar maior conforto e elevada resistência ao desgaste, deve ser leve e confortável para dissipar a carga estática, deve ainda ser anti-derrapante.

O material usado deve ser a pele natural, que permite a respiração do pé e o conforto ao caminhar. Hoje em dia já existem muitas empresas que se dedicam exclusivamente ao fabrico do sapato para trabalhar em pé, levando a cabo estudos para que o trabalho destes profissionais não se torne tão cansativo.

Saiba mais na próxima página

O calçado infantil
O estudo do pé infantil tem sido uma preocupação para algumas marcas de calcado, porque o uso de calcado inadequado ou mal concebido pode provocar mal formações nos pés, sobretudo nos dedos, de uma forma permanente.

O calçado das crianças deve ajustar-se correctamente no comprimento e na largura, acomodando os dedos em posição natural, permitindo os movimentos do pé.

Deve existir um pequeno espaço na frente, o tamanho deve ser escolhido de modo que entre a ponta do calçado e a ponta dos dedos do pé haja, pelo menos, 1 a 1.5 centímetros, para acompanhar o deslocamento do pé ao caminhar.

É muito importante que os calçados tenham a forma dos pés e não que os pés tenham a forma dos sapatos. Está demonstrado que calçado apertado e pequeno causa deformidades nos pés. A forma deve ter um bom encaixe do calcanhar para segurar o pé dentro do calcado, evitando fricções.

Os ligamentos devem ser bastante frouxos e elásticos, fazendo com que os pés tenham uma mobilidade e flexibilidade muito grande. A criança que já anda precisa de uma sola um pouco mais grossa, firme e flexível, para que possa sentir as irregularidades do chão.

A sensação destes estímulos é importante para desencadear os reflexos nervosos, que vão activar a musculatura, melhorar o equilíbrio, a postura e o desempenho funcional dos pés.

O uso de calçado desportivo
Após praticar desporto, por exemplo, a maceração da epiderme, com a decomposição de células epiteliais e de substâncias orgânicas do suor, para além de provocar um desagradável odor, vai causar irritação cutânea e propiciar infecções, especialmente, micoses, eczemas, pé-de-atleta e onicornicoses.

A transpiração dos pés cria condições perfeitas para os fungos se desenvolverem dentro dos ténis. No âmbito do calçado desportivo muitos são os estudos existentes que permitem desenvolver sapatos adequados a cada desporto.

Existem algumas marcas de desporto que lançaram no mercado alguns ténis específicos para corrida, adaptados ás diferentes necessidades de homens e mulheres, contribuindo assim para uns pés mais saudáveis.

Saiba mais na próxima página

As meias
As meias devem ser mudadas diariamente. As meias de algodão podem ajudar a manter os pés secos porque absorvem a humidade. Por outro lado, as meias de lã pesadas podem aumentar o suor.

Se os pés suam muito, troque as meias duas vezes ao dia. A meia deve ser dois centímetros aproximadamente mais comprida do que o pé. O ambiente quente e húmido dentro dos sapatos facilita e promove o crescimento bacteriano e fúngico na pele e nas unhas dos pés.

O cuidado eficaz depende da eliminação desses agentes infecciosos. Assim, as medidas de combate ao mau cheiro, como carvão activo e desodorizantes dos pés não resolvem a questão, pois não atingem a causa primária.

As mulheres sofrem mais
Segundo a podologista, Dra. Raquel Pinto, "o calçado é um dos factores mais importante para evitar o aparecimento de algumas lesões nos pés, e as mulheres por aderirem mais à moda são as mais sacrificadas. O calçado das senhoras é mais problemático que o dos homens, logo estas terão de ter cuidados acrescidos".

Para a podologista os sapatos não deverão possuir saltos com altura superior a 4 cm, visto haver uma maior sobrecarga na região anterior do pé, facilitando com isso o "aparecimento de calosidades, por vezes dolorosas".

A Dra Raquel Pinto refere ainda que os sapatos também não deverão ser demasiado estreitos pois “favorecem as deformações digitais (dedos) e, consequentemente, os joanetes. A pele do sapato deve ser de boa qualidade e suficientemente maleável para permitir os vários movimentos que ocorrem durante o caminhar".

"Não é muito recomendado o uso de sapatos com um número superior ao que usa, pois o pé estará menos protegido e fica sujeito a roçar com as várias zonas do sapato, no entanto, o calçado também não deverá ser muito apertado, não deixando o pé á vontade.

Qualquer pessoa deverá trocar de calçado frequentemente e se existir excesso de sudação há que recorrer a um bom antitranspirante, evitando o uso durante muito tempo seguido, de calçado que faça retenção de suor". A especialista refere ainda, que "a moda dos dias de hoje é culpada por uma grande parte de lesões que atingem o pé".

Agradecimentos: Raquel Pinto, podologista
Fotografia: Dior

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.