Esta planta é verdadeiramente miraculosa. Rica em óleos essenciais, relaxa o sistema nervoso e combate enxaquecas, agitação e insónias, além de estimular o apetite. O seu perfume a limão é realmente inebriante. Terá sido por ele, aliás, que os perfumistas da Europa do século XVIII a acolheram de braços abertos e a introduziram na sofisticada arte da perfumaria então em plena ascendência.

Foi trazida da América do Sul, da Argentina, do Peru e do Chile, onde é ainda hoje muito utilizada e conhecida pelo nome popular de cedron. A lúcia-lima existe um pouco por toda a Europa Meridional sendo, no entanto, Marrocos o principal produtor. Esta plana hipotensora ajuda ainda a baixar a tensão arterial. Esse está, no entanto, longe de ser o seu único objetivo.

Propriedades

A lúcia-lima é conhecida essencialmente pelas suas propriedades digestivas e carminativas, que atenuam o desenvolvimento de gases intestinais. É também um relaxante do sistema nervoso, combatendo enxaquecas, nervosismo, agitação e insónias. Além disso, estimula o apetite e tem uma ação anti-espasmódica sobre o aparelho digestivo, aliviando cólicas gastro-intestinais e também menstruais, contribuindo ainda para aliviar a sensação de vómito.

Contraindicações

Não deve ser utilizada durante longos períodos de tempo, pois pode causar perturbações gástricas.

Componentes

Esta planta é muito rica em óleos essenciais principalmente citral (cerca de 30%), borneol (que tem um aroma semelhante à pimenta e um sabor que lembra o da hortelã), cironelol, limoneno, eucaliptol e geraniol. Contém ainda taninos, flavonoides e iridoides.

Na culinária

Infelizmente, no nosso país, a lúcia-lima não é muito utilizada na culinária mas, para além das refrescantes e digestivas tisanas, ela pode ainda ser utilizada noutras bebidas, refrescos, saladas de frutas e gelatinas. Em vez de confecionadas com água, ficarão muito mais interessante se as usar com uma infusão de lúcia-lima em bolos, gelados e recheios de sobremesas, por exemplo.

Outras utilidades

É também muito utilizada como repelente de insetos, quer o óleo essencial diluído em água, quer uma forte infusão aspergida nos locais invadidos por mosquitos, quer ainda a própria planta colocada dentro das gavetas e roupeiros para conferir um agradável aroma às roupas e manter afastadas as traças.

Veja na página seguinte: Os cuidados a ter com a lúcia-lima no jardim

Os cuidados a ter com a lúcia-lima no jardim

Se a semear no fim do inverno em local coberto com cerca de 15% de temperatura, demorará entre 15 a 20 dias a germinar. Quando as plântulas (embrião vegetal já desenvolvido) crescerem o suficiente para poder manuseá-las, deve transplantá-las para vasos usando substrato de terra e saibro. Estas plantas não toleram temperaturas inferiores a 4% nem solos muito pesados.

A lúcia-lima gosta de boa drenagem, de sol e de pouco vento. Beneficia de podas radicais feitas no fim do verão. Colhem-se as folhas e flores para secagem em plena floração. Esta é uma planta que conserva o aroma intenso depois de seca durante mais de dois anos, se for armazenada correctamente. Mantém ainda afastadas as pragas das hortícolas.

Os outros nomes que lhe dão

A lúcia–lima também é conhecida por limonete, bela-luísa, erva-luísa, doce-lima. No Brasil, dão-lhe o nome de erva-cidreira. Os ingleses chamam-lhe lemon verbena e os franceses verbaine citronée. É da família das verbenáceas e tem nada menos que quatro nomes científicos. Lippia citriodora L., Verbena citriodora Cav., Aloysia triphylla (L´Hérit.) Britton e ainda Lippia triphylla (L´Hérit.) O. Kuntze.

Na verdade, este é um belo, robusto e perfumado arbusto de folha caduca e forte odor a limão, com pequenas panículas de minúsculas flores brancas, raiadas de lilás fazendo lembrar pequenas luzinhas, daí o nome lúcia, derivado do latim luce, que significa luz.