De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), a África Austral continua a ser a região mais afetada do continente, com 3.922.173 casos e 111.094 óbitos associados à covid-19.

Nesta região, encontra-se o país mais atingido pela pandemia, a África do Sul, que contabiliza 2.920.109 casos e 88.987 mortes.

O Norte de África, que sucede à África Austral nos números da covid-19, atingiu hoje 2.582.838 contágios pelo vírus SARS-CoV-2 e 70.017 mortes associadas à covid-19.

A África Oriental contabiliza 1.047.205 infeções e 22.770, e a região da África Ocidental regista 661.168 casos de infeção e 9.925 mortes. A África Central é a que tem menos casos de infeção e de mortes, 262.928 casos e 3.677 mortes, respetivamente.

A Tunísia, o segundo país africano com mais vítimas mortais a seguir à África do Sul, regista 25.213 mortos e 712.013 infetados, seguindo-se o Egito, com 18.375 mortos e 326.379 casos, e Marrocos, com 944.803 contágios, mas menos mortes do que os dois países anteriores, 14.636 óbitos associados à doença.

Entre os países mais afetados estão também a Etiópia, com 6.393 vítimas mortais e 363.240 infeções, a Argélia, com 5.899 óbitos e 205.990 pessoas infetadas, e o Quénia, com 5.263 mortes associadas à doença e 252.839 contágios acumulados.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique contabiliza 1.929 mortes associadas à doença e 151.243 infetados acumulados desde o início da pandemia, seguindo-se Angola (1.709 óbitos e 64.033 casos), Cabo Verde (349 mortes e 38.151 infeções), Guiné Equatorial (163 óbitos e 13.166 casos), Guiné-Bissau (141 mortos e 6.131 infetados) e São Tomé e Príncipe (56 óbitos e 3.697 infeções).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A covid-19 provocou pelo menos 4.945.746 mortes em todo o mundo, entre mais de 243,56 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.