O que é o Glaucoma?

Glaucoma é uma doença crónica e progressiva do nervo óptico (nervo que leva a informação do olho, que recebe as imagens, para o córtex visual onde as imagens são ‘observadas e vistas’ pelo nosso cérebro).

É a principal causa de cegueira irreversível a nível mundial,  estimando a Organização Mundial de Saúde que em 2002 existissem 4.4 milhões de pessoas afetadas e fosse responsável por 12.3% das causas de cegueira mundial.

Mais de 50% das pessoas que têm glaucoma não sabem que o têm.

Como é que se manifesta o Glaucoma?

Infelizmente trata-se de uma doença que não causa sintomas (ardor, picadas ou outra queixa) manifestando-se por uma perda de visão periférica (não perceptível) e que em fases tardias conduz a uma cegueira permanente e irrecuperável. Não é assim tão incomum observarmos doentes na consulta, ou urgência, que nos procuram porque perderam visão num dos olhos e descobre-se que tem um glaucoma em fase terminal mesmo no outro olho (apesar de não obstante não estar cego). Só é possível o seu diagnóstico em consulta de rotina de Oftalmologia.

Como o que eu sei que tenho Glaucoma?

Trata-se de uma doença multifatorial em que o fator que parece ser mais importante, e o único que é modificável, é a pressão intraocular (PIO) elevada. Contudo este parâmetro tem oscilações ao longo do dia, e mesmo doentes com glaucoma, em 50% dos casos tem PIO ditas ‘normais’ na altura em que são observados. Pelo que não chega confirmar que a PIO está elevada (qualquer máquina o faria) mas é muito importante avaliar o resto do olho: medir o ângulo iridocorneano, avaliar as diferentes áreas e detetar as lesões no nervo óptico (NO) - escavação do NO. A realização de tomografia de coerência óptica (OCT) e campos visuais vão permitir corroborar o diagnóstico e revelar quão grave é o seu estádio evolutivo.

Quem tem maior risco de desenvolver esta doença e quem deve fazer rastreios?

  • qualquer pessoa com mais de 40 anos;
  • quem tenha história familiar (10 vezes mais risco);
  • pessoas de raça negra
  • quem tenha alta miopia ou utilize corticoides.

Tenho glaucoma. Porque devo manter consultas regulares?

O tratamento do glaucoma passa pelo uso de colírios e/ou laser e/ou cirurgia. Só saberemos se a nossa escolha terapêutica permitirá a redução da PIO para um valor dito ‘o ideal - PIO alvo’, se realizarmos os referidos exames com a devida regularidade e não se observar agravamento das alterações já encontradas (essas já não desaparecem queremos é que não piorem). Por outro lado, a PIO pode ficar descontrolada e aumentar sem que surja nenhum sintoma, pelo que é fundamental um seguimento oftalmológico com regularidade. Mesmo em tempos de pandemia este seguimento não deve ser adiado.

Um artigo do médico Fernando Trancoso Vaz, oftalmologista no Hospital CUF Tejo.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.