O teste "Add-Aspirina phase III" vai ser realizado com 11.000 doentes com cancro de mama, esófago, intestino, estômago e próstata, segundo o Instituto Britânico de Pesquisa do Cancro.

O objetivo é determinar se tomar aspirina todos os dias durante cinco anos pode parar ou retardar a recidiva deste tipo de tumores malignos.

O teste será realizado em mais de 100 centros médicos durante 12 meses. Os participantes serão divididos em três grupos: um que vai tomar diariamente 300 miligramas de aspirina, um outro tomará 100 miligramas e o terceiro receberá um placebo ou equivalente.

Cerca de 9.000 pacientes irão participar no Reino Unido e outros 2.000 na Índia, onde o teste terá início em 2016, explicou uma porta-voz do instituto.

A aspirina já provou que pode ajudar a prevenir ataques cardíacos em algumas pessoas e vários estudos sugerem que pode fazer o mesmo com certos tipos de cancro.

"Este ensaio é particularmente desafiador, uma vez que os cancros que recidivam são, a maioria das vezes, mais difíceis de tratar. Encontrar uma maneira barata e eficaz de evitá-lo pode ser um ponto de viragem para os pacientes", assegura a médica Fiona Reddington.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.