"Este é o ponto de partida para uma colaboração em que o município do Fundão é o primeiro a nível do país a acolher os dois projetos em simultâneo [‘Cogweb’ e ‘Brain on Track’] na área da saúde cognitiva", explicou esta quarta-feira (08/02) o neurologista e investigador Vítor Tedim Cruz.

Este responsável falava em Silvares, no concelho do Fundão, durante a apresentação pública do ‘Cogweb' e do ‘Brain on Track', dois projetos na área da saúde cognitiva, baseados em ferramentas e sistemas ‘online’.

O ‘Cogweb' disponibiliza um conjunto de exercícios desenvolvidos para o treino intensivo de diversas funções cognitivas e foi desenhado para poder ser usado em diversas patologias e em pessoas de várias idades. É destinado a doentes com alterações cognitivas.

Já o ‘Brain on Track' é uma ferramenta dirigida à população em geral, saudável. Trata-se de um sistema de monitorização cognitiva que consiste na realização regular de um conjunto de testes, através da internet, que permitem a identificação atempada de alterações ao nível cognitivo, possibilitando, em caso de deteção de doença, o encaminhamento para uma consulta especializada.

Por cada mil habitantes, 30 têm problemas cognitivos

Vítor Tedim Cruz sublinhou que, atualmente, por cada mil habitantes, 30 apresentam problemas cognitivos anualmente. As razões para este fenómeno são variáveis e vão desde a doença neurológica ao acidente vascular cerebral (AVC), esclerose múltipla, depressão grave, demência vascular, doença de Parkinson, entre outros fatores. "Quando se pensa à escala de um município, estes problemas afetam a cidadania. Todas as alterações cognitivas têm um impacto global, desde familiar, profissional ou ao nível da saúde", frisou.

O neurologista sublinha que a saúde cognitiva determina a qualidade de vida, o impacto funcional, a realização pessoal e a própria manutenção do emprego do indivíduo.

O objetivo do projeto no município do Fundão passa por monitorizar durante um ano mil cidadãos adultos saudáveis, ou seja, sem qualquer demência após o rastreio cognitivo, com capacidade para usar um computador sem ajuda externa e ter acesso à internet.

Num primeiro momento é feito o registo e um primeiro teste, seguindo-se outro teste passado uma semana. Posteriormente, de três em três meses, a pessoa é submetida a novo teste. Isto em relação ao sistema ‘Brain on Track'.

O ‘Cogweb' vai ser testado inicialmente no Centro Comunitário das Lameiras, em Silvares, que tem as valências de lar e de centro de dia, sendo que os técnicos vão a partir de hoje receber formação sobre o sistema.

O presidente da Câmara do Fundão, Paulo Fernandes, realçou a importância deste projeto e da educação para a saúde: "É uma questão que todos falamos, mas também é importante que os municípios, com as forças vivas, se envolvam nesse esforço".

O autarca quer criar uma estrutura de acompanhamento do projeto que envolva também a Universidade da Beira Interior (UBI) e o Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB).

"A questão da saúde mental tem que ser levado muito a sério e é preciso dar o exemplo. O objetivo passa também por mobilizar a comunidade nas diferentes tipologias para ter uma estratificação da amostra e ter toda a população representada no projeto", disse.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.