A mulher, residente na capital espanhola, não estava grávida quando ficou doente e não apresentou "complicações clínicas", indicou o porta-voz do Departamento de Saúde de Madrid citado pela agência de notícias France Presse.

O namorado da mulher infetada viajou para um país latino-americano entre abril e maio e ao voltar foi diagnosticado com Zika. Semanas depois, a mulher também manifestou sintomas da doença.

Casos de transmissão do Zika por contacto sexual foram registados em cerca de dez países. O principal vetor do vírus é o mosquito Aedes aegypti.

O Zika provoca sintomas leves, no entanto pode causar também transtornos neurológicos e microcefalia, uma malformação que prejudica o desenvolvimento cerebral de fetos de mães infetadas.

Em Espanha continental não existe o principal vetor de transmissão, afirmou a referida fonte sanitária.

Até 27 de junho, Espanha registou 158 casos confirmados de Zika, 21 deles em mulheres grávidas, segundo o Ministério da Saúde. Todos em pessoas que viajaram para zonas infetadas.

As autoridades sanitárias espanholas registaram pelo menos dois casos de recém-nascidos com microcefalia associada ao Zika.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.