Fabricantes de automóveis, de equipamentos eletrónicos e do setor têxtil foram convocados pela procura de máscaras a transformarem à pressa as suas linhas de produção. O mercado de produção de máscaras tornou-se muito lucrativo e o preço das matérias-primas disparou - especialmente os materiais para a filtragem de máscaras.

O aumento dos preços desse material, presente em muitos produtos de higiene, ameaça diretamente a sobrevivência dos produtores de fraldas, pensos higiénicos e lenços de papel.

"Temos a capacidade de produção, mas os custos são (agora) extremamente altos", explica Huang Tenglong, cuja empresa de fraldas está sediada na província de Fujian, China.

"Em janeiro, a matéria-prima custava cerca de 13.000 iuanes por tonelada (1.818 dólares). Mas o preço subiu para 140.000 ou 150.000 iunes (em torno de 19.600 dólares) no mês passado", quando a procura por máscaras explodiu no exterior, relata Huang.

E a situação não deve melhorar tão cedo, pois a pandemia continua a causar danos, com mais de 346 mil mortes.

"Muitos pequenos produtores não podem suportar financeiramente os custos crescentes", especialmente aqueles que fabricam pensos higiénicos, disse à AFP Lin Yanting, diretor de outra fábrica de fraldas, a Daddybaby.

Huang Tenglong admite mesmo já estar a sofrer quebras na produção por causa da falta de matéria-prima.

Veja o vídeo - O ar dentro de um avião: como são eliminados vírus e bactérias?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.