O grupo farmacêutico francês está a desenvolver duas vacinas, mas que não deverão estar disponíveis antes do final de 2021.

A ministra francesa da Economia, Agnès Pannier-Runacher, disse hoje que pediu ao grupo que estudasse a possibilidade de disponibilizar as suas cadeias de produção até então para a fabricação de vacinas anti-covid de outros grupos farmacêuticos como a BioNTech e a Janssen.

Sem citar o nome do laboratório, a Sanofi, citada pela agência AFP, indicou que “avalia em particular a viabilidade técnica de realizar temporariamente certas etapas de fabricação para apoiar outros fabricantes de vacinas covid-19″, enfatizando que é “nesta fase” uma “reflexão ainda muito preliminar”.

Segundo a ministra francesa, a questão é antes de mais de natureza “técnica”, se tem equipas suficientes e quanto tempo demoraria a desenvolver esta produção.

A farmacêutica francesa Delpharm anunciou em novembro que produziria parte das vacinas contra a covid-19 da Pfizer-BioNTech, na sua fábrica na Normandia.

A fábrica da sua concorrente Recipharm, por sua vez, deverá produzir a vacina da Moderna a partir do final de fevereiro ou início de março, especificou a ministra Pannier-Runacher em 8 de janeiro.

O porta-voz do governo francês Gabriel Attal disse na sexta-feira que as vacinas “produzidas em território francês” entrarão “na cota” de vacinas encomendadas pela União Europeia e distribuídas para a França de acordo com sua população.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.