Os exercícios hipopressivos, também conhecidos como Low Pressure Fitness, foram criados na década de 1980 pelo Prof. Doutor Marcel Caufriez (fisioterapeuta belga especializado em reabilitação urogenital), de modo a poder trabalhar a zona abdominal sem prejudicar a musculatura pélvica.

Até aos dias de hoje já foram realizados diversos estudos, e todos apontam para claras evidências da eficiência e benefícios destas técnicas.

Os exercícios em hipopressão são exercícios posturais, rítmicos que permitem a integração e melhoria dos estímulos proprioceptivos e sensoriais associados à postura e movimentos particulares. Estes movimentos e posturas proporcionam a ativação da parede abdominal e do pavimento pélvico de forma tónica.

Como é que funciona?

Abdominais hipopressivos

Como o nome indica, há uma redução da pressão intra-abdominal realizada com o controlo da respiração e caixa torácica, que cria o efeito de “vácuo” na cavidade abdominal e pélvica.

As posturas realizam-se em apneia expiratória e expansão torácica, podendo durar 25 segundos cada postura, num total de 20 minutos por treino.

As evidências científicas apontam os seguintes benefícios:

  • Aumenta a força explosiva e a capacidade anaeróbia ao elevar o metabolismo em 15%;
  • Melhora as prestações sexuais em mulheres e homens pelo incremento da vascularização no pavimento pélvico;
  • Previne a incontinência urinária;
  • Induz uma correta distribuição das pressões abdominais;
  • Evita prolapsos;
  • Reduz o perímetro da cintura em cerca de 8% (resultados em seis meses),
  • Melhora a postura e diminui as hiperlordoses lombares e cervicais e hipercifoses dorsais;
  • Aumenta o tónus do pavimento pélvico e da faixa abdominal em 58%:
  • Incrementa a força do pavimento pélvico em cerca de 20%;
  • Melhora a resistência (aeróbica) em 65%.

Benefícios terapêuticos

Abdominais Hipopressivos
  • Tonificação do pavimento pélvico (sobretudo em mulheres);
  • Tonificação da faixa abdominal;
  • Melhoria na distribuição da pressão abdominal durante o esforço;
  • Prevenção de lombalgias funcionais;
  • Prevenção de hérnias discais lombares;
  • Prevenção de hérnias abdominais, crurais e inguinais;
  • Prevenção de prolapsos urogenitais;
  • Melhoria na vascularização dos membros inferiores e pélvis;
  • Melhoria da mobilização metabólica;
  • Melhoria da sensibilidade sexual (sobretudo em mulheres)

Contudo, nem todos poderão ingressar neste método, devido à sua exigência em tempo de apneia e pela mobilização das fáscias internas. Se tem hipertensão, cardiopatias, Disfunção Obstrutiva Inspiratória (DPOC), está grávida ou tem alguma doença inflamatória dos órgãos abdominais, não deve realizar estes exercícios.

Em caso de dúvida consulte um profissional do exercício físico ou fisioterapeuta com formação específica desta metodologia.

Paulo Ah Quin - Regional Master Trainer Holmes Place

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.