A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que entre 15% a 20% da população mundial sofre de algum tipo de problema auditivo- representa um número de cerca 1 500 milhões de pessoas. Prevêem, em 2050, que o número suba para os 2 500 milhões de pessoas, com maior incidência na população acima dos 50 anos.

A perda auditiva mais comum está relacionada com envelhecimento natural do sistema auditivo. Além da idade, existem outros fatores que contribuem para o agravamento da audição, como a exposição a ruído excessivo, substâncias químicas, infeções e outras doenças.

Os jovens também correm o risco de perder audição devido ao aumento contínuo de hábitos sociais prejudiciais para a saúde, como ouvir música de forma não segura e responsável. De acordo com a OMS, mais de mil milhões de adolescentes e jovens adultos em todo o mundo podem sofrer de problemas auditivos.

De forma a amenizar os riscos e prevenir problemas auditivos, é essencial adotar comportamentos preventivos, entre os quais:

1. Limitar a exposição a ruídos altos: A exposição frequente e prolongada a sons e ruídos altos ou repentinos deve ser controlada.

2. Ouvir música com moderação: A audição de música em auriculares ou auscultadores deve sempre ser feita com um volume baixo a moderado, que permita ouvir os sons exteriores.

3. Discotecas, bares e concertos: Sempre que frequentar locais ruidosos, faça pausas e saia para o exterior para que os seus ouvidos possam descansar. Tente também não estar perto das colunas de som.

4. No trabalho: Num trabalho com exposição a ruídos por longo tempo, é aconselhado a utilização de protetores ou auscultadores apropriados.

5. Optar por uma vida saudável: Gestos diários como fazer exercício, reduzir o consumo de álcool e de tabaco e ter uma dieta rica em vitamina B-12 (leite e seus derivados, ovos, fígado, carnes vermelhas, aloé vera, algas ou pólen) é altamente benéfica para o sistema nervoso e também para os ouvidos.

6. Na água: Em situações de mergulho ou de desporto náutico, o tímpano deve ser protegido com a utilização de protetores auriculares apropriados. Mergulhar pouco a pouco para evitar a entrada brusca de água no ouvido.

7. De avião: A descolagem e a aterragem de um avião são momentos críticos para os ouvidos. É necessário a compensação do aumento natural da pressão comendo um rebuçado, mastigando uma pastilha ou simulando a deglutição de alimentos (com o movimento de abrir e fechar a boca). Também é conveniente descongestionar o nariz e beber muita água durante o voo. Em alguns casos, poder ser necessário realizar a manobra de Valsalva.

8. Os medicamentos: A ingestão prolongada de certos medicamentos, em particular ototóxicos, pode ter impacto na audição. É fundamental a toma de medicamentos unicamente prescritos por médicos, seguindo as indicações corretas de toma.

9. Higiene dos ouvidos: Se desejamos limpar eficazmente os ouvidos, devemos recorrer a difusores de água marinha e não introduzir cotonetes ou outros objetos, pois podem perfurar o tímpano e provocar uma lesão traumática.

10. Teste auditivo: Deve-se realizar um exame auditivo regular a partir dos 50 anos ou em caso de algum sinal de problema auditivo (zumbidos, sensação de ouvido tapado, dores nos ouvidos e tonturas) ou mesmo após a cura de uma otite ou qualquer tipo de infeção do ouvido com o objetivo de comprovar se afetou ou não a audição e tomar o quanto antes as medidas adequadas.

Texto: Minisom (consultas de avaliação gratuita para encontrar a melhor solução).

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.