Após o ano passado ter lançado a WareHouse, a Maria do Mar abre a sua terceira loja, Tailor, inteiramente dedicada ao vestuário infantil.

Com o objetivo de contrariar a ideia de que toda a roupa de criança vem da produção em massa, Mónica Albuquerque procura envolver pais e crianças num imaginário de sustentabilidade, parentalidade positiva e slow living, ao demonstrar que é possível escolher artigos de qualidade, cool e divertidos, mas também eco-friendly e produzidos artesanalmente.

Com a oferta das melhores marcas infantis e os melhores produtos, a Tailor nasce com o propósito claro de preencher a lacuna de opções existente no mercado de slow-fashion de alta qualidade em Portugal e, em simultâneo, de tentar responder aos problemas ambientais causados pela indústria da moda.

“Faltava uma loja de roupa infantil que se focasse na forma de produção, qualidade e sustentabilidade ambiental. Afinal de contas, a indústria da moda está entre as cinco indústrias mais poluentes do mundo! Não basta pensarmos só nos produtos que têm sido mencionados frequentemente como poluentes, tais como as calças de ganga de fast-fashion que produzem mais emissões de CO2 do que produz uma viagem de carro durante 100km. É preciso repensar a indústria da moda como um todo e isso respeita desde a produção até ao consumo desmedido e inconsciente. Segundo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), em Portugal deitam-se para o lixo cerca de 200 mil toneladas de têxteis por ano e isso é verdadeiramente problemático”, explica Mónica Albuquerque, CEO Maria do Mar.

Todas as marcas presentes na Tailor devem não só respeitar o ambiente, mas também produzir coleções intemporais, visto que a ideia será investir em produtos que não saem de moda e que, por esse motivo, podem passar de geração em geração. Apostando em coleções o mais seasonless possível – para que não exista a sensação de estação e possam ser utilizadas continuamente – e em materiais naturais, assim como linhos, lãs e algodões – por acreditar-se que são os mais duradouros e, como tal, os melhores para serem utilizados – a Tailor seleciona ainda as suas marcas de acordo com ideais de fair-trade: vestuário de comércio justo, produzido por pessoas reais e que fazem roupas reais e de qualidade, com carinho e honestidade.

Transversal a todas as lojas do grupo Maria do Mar, existe também a preocupação acrescida de dar preferência a artigos que permitam o desenvolvimento saudável das crianças. O espaço opta por opções que possibilitem a autonomia dos mais novos e que os incentivem a tornarem-se fortes e independentes.

”Poder pintar, dançar, cantar, rebolar na relva e brincar à vontade devem ser as premissas que o vestuário infantil deve respeitar, e é exatamente isso que a Tailor quer promover: roupa que não só dê liberdade às crianças para brincarem, mas também que seja feita a pensar nelas, que seja fácil de vestir e combinar, para que elas próprias o consigam fazer sozinhas. A Tailor é no fundo a loja onde se quer estar, com roupa pensada e desenhada para os coolkids”, acrescenta Mónica Albuquerque.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.