Uns usavam os copos labiais à venda no mercado, outros recorriam a copos de vidro de abertura estreita e havia ainda quem, à falta de uns e de outros, utilizava garrafas para prender os lábios que, com a circulação sanguínea condicionada, aumentavam de volume, dando o efeito de volumização que alguns tratamentos estéticos de injeção de fillers sintéticos (como o ácido hialuronico, por exemplo) ou naturais (gordura) asseguram.

Em meados de abril do ano passado, a socialite Kylie Jenner lançou o Kylie Jenner Challenge, um desafio promovido com a hashtag #kyliejennerchallenge, que levou centenas de adolescentes em todo o mundo, na esperança de conseguir uma boca sensual como a da irmã de Kim Kardashian, a experimentar o processo, exagerando no tempo de permanência. Lábios inchados, feridas labiais e muitos outros problemas estão documentados na internet.

Rapidamente, choveram críticas de pais e educadores e até de outros jovens. «Odeio a nossa geração. É tão parva», escreveu mesmo um dos contestatários da medida. Apesar dos muitos incidentes, são várias as empresas que continuam a vender copos labiais. Além de vários sucedâneos em várias lojas online, a empresa Fullips da empresária Linda Gomez, que patenteou o produto, continua a produzi-lo e a comercializá-lo.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.