O abandono escolar atingiu, no ano passado, o valor mais baixo de sempre, tendo descido de 12,6% em 2017 para 11,8%.

Em 2011, mais de um em cada cinco jovens abandonavam a escola antes de terminar os estudos (23%), segundo os dados disponibilizados pelo INE. Em apenas sete anos verificou-se uma redução de mais de dez pontos percentuais.

Em comunicado enviado para a agência Lusa, o Ministério da Educação congratula-se com este valor sublinhando que foi alcançado um “mínimo histórico”, mas sublinhando que o trabalho do ministério não estará acabado “enquanto houver jovens que abandonam a escolaridade obrigatória”.

O Ministério da Educação recorda que o abandono escolar é uma das grandes vulnerabilidades do sistema educativo e, por isso, um dos principais objetivos da atual legislatura sempre foi a redução do abandono.

Garantindo que irá continuar a trabalhar nesse sentido, a tutela lembra algumas das medidas que considera que têm contribuído para esta diminuição da taxa de abandono, tais como o “Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar”, centrado no trabalho em sala de aula e na deteção precoce de dificuldades ou o “Apoio Tutorial Específico” destinado a alunos em situação de insucesso e em risco de abandono.

A tutela sublinha ainda que os resultados agora conhecidos devem-se, “em primeira instância, a todos os que trabalham diariamente nas escolas”.

Portugal deve atingir os 10% até 2020, segundo as metas europeias estabelecidas para Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.