O príncipe André afirmou hoje que vai afastar-se dos deveres reais com a permissão da Rainha Isabel II, face às críticas que tem sofrido após conceder uma entrevista à BBC sobre o caso Epstein.

Para o Duque de Iorque, ficou claro nos últimos dias que a sua amizade com Jeffrey Epstein, encontrado morto na prisão onde estava sob acusação de tráfico sexual e abuso de menores, se tornou uma "grande distração" para o trabalho da família real.

Arrependido da sua associação ao bilionário norte-americano, André disse que "simpatiza profundamente" com as vítimas dos crimes de Epstein.

Segundo o príncipe, a sua mãe, a Rainha Isabel II, já lhe deu permissão para se afastar dos deveres reais.

Numa entrevista transmitida no passado sábado no programa Newsnight da BBC, o príncipe André disse que nunca suspeitou do comportamento criminoso de Epstein e contestou as acusações de uma mulher, alegadamente recrutada pelo norte-americano, que afirma ter sido forçada a ter relações sexuais com o Duque de Iorque quando tinha 17 anos.

Após a entrevista, André foi fortemente criticado por não ter expressado preocupação pelas vítimas de Epstein e já foram várias as instituições e empresas que anunciaram o fim das suas ligações ao príncipe.

Jeffrey Epstein aguardava julgamento numa prisão em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, por acusações de tráfico sexual e abuso de menores, quando foi encontrado morto, uma morte considerada suicídio pelo médico legista da cidade.

André, por seu lado, considera que o suicídio de Epstein deixou muitas perguntas por responder.

Leia Também: Príncipe André nega "categoricamente" ter tido relações com menor

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.