Como será feito o anúncio?

Ao longo dos anos que a Casa Real definiu nomes de código para os funerais de diversos membros da família real e figuras de renome da sociedade inglesa. Como refere o jornal The Guardian, na eventual morte da rainha Isabel II é acionada a operação London Bridge de forma a dar início aos preparativos da sua cerimónia fúnebre. Apesar de o seu funeral estar a ser planeado desde os anos 1960, existe uma grande probabilidade de Carlos, enquanto sucessor ao trono britânico, vir a ter que tomar decisões de última hora.

Edward Young, secretário pessoal da Rainha, ficará encarregue de anunciar a morte de Sua Majestade ao primeiro-ministro inglês. Em seguida a notícia será comunicada aos diferentes estados da Commonwealth e, posteriormente, à agência de notícias Press Association e restantes media, como é o caso da BBC. Só depois será colocado um aviso nos portões do Palácio de Buckingham e no site oficial da Família Real, que ficará a preto.

O que acontece se morrer fora da residência oficial?

De acordo com o The Guardian, que preparou um especial sobre o tema, acredita-se que o mais provável é que a rainha Isabel II morra na sua residência oficial. Mas caso a monarca não morra no Palácio de Buckingham como será feita a transladação do seu corpo de forma a dar início às cerimónias fúnebres?

Se morrer no estrangeiro o seu corpo será transladado para o Reino Unido num avião da Força Aérea Britânica – o BAe 146. Se estiver na sua propriedade em Norfolk o corpo irá ser transportado de carro até à capital. Caso morra em Balmoral, na Escócia, o trajeto até Londres é mais complicado: primeiro o seu corpo vai ficar no Palácio de Holyrood, residência oficial da Rainha na Escócia, seguindo-se um serviço religioso na St. Gile’s Cathedral. Por fim, terá lugar um trajeto fúnebre a bordo do Royal Train, que irá percorrer a Linha Principal da Costa Este, e onde os súbditos vão poder assistir à passagem do comboio e prestar a sua homenagem.

Chegado a Londres, o corpo será transportado de imediato para a sala do trono no Palácio de Buckingham onde ficará durante três dias.

Qual o tipo de serviço fúnebre?

De acordo com o jornal New York Times, quando morre um membro da família real podem ser realizados três tipos de funerais: funeral de estado (reservado para o Rei ou Rainha, podendo aplicar-se a outras figuras de relevo mediante desejo do monarca e votação no Parlamento); funeral cerimonial (reservado para figuras com alto cargo/função militar, para o consorte ou herdeiro ao trono) e funeral privado (reservado para outros membros da família real, assim como os seus filhos e cônjuges.)

Dado a sua importância, sabe-se que o seu funeral terá honras de estado e que, nas palavras do Business Insider, “vai ser um evento como nunca se viu no Reino Unido desde o fim da Segunda Guerra Mundial.” Para além disso, o dia do funeral será declarado feriado nacional.

Operação Forth Bridge. É isto que vai acontecer no funeral do duque de Edimburgo
Operação Forth Bridge. É isto que vai acontecer no funeral do duque de Edimburgo
Ver artigo

Onde será o funeral?

No dia seguinte à morte de Isabel II irão começar os preparativos e ensaios do velório, cortejo e funeral. O corpo será levado para a Westminster Hall onde permanecerá durante quatro dias em câmara ardente decorado com a coroa, ceptro e orbe. O velório será aberto ao público e realizado sob a vigilância da Força Aérea Real, o Exército, Marinha Real e os guardas da Torre de Londres.

Na véspera do funeral é costume realizarem-se, em diversos locais, missas em honra de Sua Majestade. Como refere o The Guardian, no dia do funeral o corpo será transportado para a Abadia de Westminster onde, por volta das 11h da manhã, terá lugar o serviço religioso. Momentos antes da cerimónia começar irá realizar-se um momento de silêncio em todo o país em homenagem a Sua Majestade, sendo interdita temporariamente a circulação de transportes públicos.

O funeral será transmitido pela televisão e contará com a presença de familiares, amigos, membros de outras casas reais e chefes de estado de todo o mundo. Em seguida o corpo será colocado numa carruagem de artilharia e será transportada por 138 membros da Marinha Real até ao local da sua sepultura.

Dado a sua importância, neste dia a bolsa de Londres e os bancos não vão estar a funcionar, assim como as lojas que vão estar encerradas ou a funcionar em horário reduzido.

Qual o período de luto?

Quando morre um membro da família real é decretado um período de luto da família real e ainda um período de luto nacional a definir pelo governo como sinal de respeito. Neste caso em específico serão declarados 10 dias de luto nacional.

Para além de todos os projetos de lei sujeitos a aprovação real e questões de estado serem suspensas, a BBC irá suspender a transmissão de todos os programas de comédia e a grelha televisiva poderá sofrer alterações nos dias que se seguirem.

Bandeiras e homenagens

Após ser anunciada a morte de Isabel II todas as bandeiras do país são vão ser içadas a meia haste até à realização do seu funeral. Recorde-se que após a morte da princesa Margarida, as bandeiras das residências reais foram colocadas a meia haste até ao dia do seu funeral. O mesmo se aplicou à Rainha mãe, com a diferença de que o estandarte real da Clarence House foi colocado a meia haste aquando da chegada do seu caixão a Londres, revelou um comunicado oficial da Clarence House.

Recorde-se que esta é uma época de grande mudança para o Reino Unido que, ao mesmo tempo que chora a morte da rainha Isabel II, presencia a proclamação do novo rei de Inglaterra. Um dia após a sua morte terá lugar o Accession Council: uma cerimónia a realizar no St. James Palace onde é eleito, oficialmente, o próximo sucessor ao trono britânico. A escolha deverá recair sobre Carlos, atual príncipe de Gales. Nesse mesmo dia será aberta uma exceção e as bandeiras serão hasteadas para a sua proclamação que terá lugar por volta das 11h.

De acordo com o Business Insider é esperado que diversas igrejas da capital toquem os sinos como sinal de respeito a Sua Majestade. Recorde-se que após a morte do rei George VI os sinos da Abadia de Westminster tocaram 56 vezes em alusão aos seus anos de vida.

Livro de condolências e donativos

No dia seguinte à morte de Isabel II serão colocados livros de condolências em bibliotecas, museus e câmaras municipais onde o público poderá deixar uma mensagem de homenagem à soberana. Nas províncias serão instalados ecrãs gigantes onde os súbditos poderão acompanhar com pormenor as cerimónias fúnebres.

Espera-se que, à semelhança de outros membros da família real, o público possa fazer um donativo a uma das instituições de caridade das quais a Rainha era patrona.

Enterro

Acredita-se que a rainha Isabel II será sepultada na St. George’s Chapel, localizada no Castelo de Windsor. De acordo com o Business Insider, Balmoral ou Sandringham são ainda uma hipótese tendo em conta o significado e importância que estas propriedades reais tiveram na vida de Sua majestade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.