Barbra Streisand falou sobre a sua decisão em clonar duas vezes a sua cadelinha Samantha, que morreu no ano passado. Em entrevista ao The New York Times, Streisand revelou o motivo que a levou a tomar a decisão já tão contestada.

“Fiquei tão devastada com a perda da minha querida Samantha ao fim de 14 anos juntas, que apenas a quis manter perto de mim de alguma forma”, sublinhou.

“A minha Sammie tinha o pelo encaracolado – ela era estranha, diferente, era como se fosse a minha menina”, continuou. “Uma das razões que me levou a clonar foi porque não iria conseguir encontrar outro cão desta raça assim”, sublinhou.

De recordar que a polémica surgiu depois de Streisand ter feito a revelação, alegando que para tal teve de colocar um tubo que ia até ao estômago do animal para conseguir fazer o procedimento.

“Nós amamo-los tanto”, garantiu. “Cada cão é único e tem a sua própria personalidade”, ressalvou.

Apesar das críticas, Barbra tem noção que a única coisa que conseguiu replicar foi a imagem, até porque é impossível “clonar a alma”. “Ainda assim, todas as vezes que olho para a cara delas, acho que são a minha Samantha”, concluiu.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.