As Casas do Juízo são um empreendimento turístico inserido num meio rural e no centro de cinco Aldeias Históricas, a 30 minutos de carro do Douro Superior e do Parque Arqueológico do Vale do Côa. Com capacidade para 30 pessoas, este Turismo de Aldeia é constituído por oito casas independentes - de T0 a T4 - inseridas em dois condomínios fechados localizados no centro da aldeia.

Uma aldeia que no passado foi Vila Romana e que é hoje um território de silêncio. Uma aldeia onde a história permanece e a vida se prolonga. Onde o azeite, o vinho e a amêndoa são as estrelas, e brilham com um queijo, um requeijão e um pão. Uma terra em que a autenticidade das suas gentes rima com a lealdade dos seus rebanhos. Uma aldeia hospitaleira, com tudo para dar e que tem sempre um sorriso preparado para a quem vem de fora mostrar.

As casas foram recuperadas com a dedicação de quem é filho da terra. Plantadas no cruzamento da Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal e da Grande Rota do Vale do Côa, estas oito casas de campo oferecem tudo o que é esperado numa aldeia típica beirã: a arquitetura tradicional com predominância do granito amarelo, lareira ou salamandra para combater o rigor do inverno, quinta biológica com horta e árvores de fruto, percursos pedestres por caminhos rurais, degustação de pratos tradicionais e ainda a possibilidade de acompanhar o fabrico do queijo ou do pão, e de participar em atividades agropecuárias.

Uma piscina exterior para os mergulhos de verão é coberta e aquecida durante os meses de inverno, para quem não abdica de relaxar dentro de água ou de nadar mesmo nos dias mais frios.

A aldeia do Juízo conta ainda com um pequeno espaço museológico, com vestígios e achados arqueológicos com milhares de anos, que fazem as delicias dos mais curiosos e os transporta para o tempo dos romanos.

José Pinto Guerra é o responsável por este Turismo Rural e pela recuperação das oito casas de granito da aldeia que ao longo do tempo foi perdendo os seus habitantes.

Empenhado em manter viva a terra onde cresceu afirma que o Juízo tem sempre o coração e as portas abertas, e explica que é um lugar privilegiado e que serve a todos aqueles que queiram conhecer e sentir melhor o interior do nosso país.

“As Casas do Juízo são feitas para todas as pessoas e famílias, com ou sem filhos, que gostem de espaços tranquilos e de sítios acolhedores, com história e com gente que sabe bem receber e acolher", explica em comunicado, acrescentando que este é um local para "pessoas que apreciem o contacto com a natureza, o ar puro e o contacto com os animais. Que gostem de paisagens bonitas, de programas ao ar livre, de explorar e de passear, mas também para pessoas que apreciem o silêncio, as coisas boas e o conforto de usufruir do descanso e do sossego de simplesmente ficar por casa”.

Pela sua localização geográfica as Casas dos Juízo são uma paragem estratégica para diferentes tipos de turismo. Para quem procura um turismo cultural, uma visita guiada pelo Juízo, um passeio à cidade de Pinhel, pelas aldeias históricas e típicas dos arredores e a proximidade do Museu do Côa e do Parque arqueológico do Vale do Côa, são algumas das possibilidades.

Para os adeptos de um turismo mais ativo, a Grande Rotas das Aldeias Históricas e a Grande Rota do Vale do Côa são percursos incríveis e incontornáveis para se explorar a pé ou de bicicleta.

Já os fãs do enoturismo, devem usufruir e explorar o facto de se encontrarem na região de vinhos da Beira Interior e passar ainda pela Região do Vinho do Porto, que fica apenas a 10km do Juízo.

A Taberna do Juiz completa a experiência nas Casas do Juízo. Este é o restaurante da aldeia e oferece os sabores da região da Beira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.