Filmes de amor e ódio, celebridades que os protagonizaram na vida real. O ponto comum? Ambos se desenrolaram em hotéis, locais de passagem onde se vivem contos de fadas e histórias de terror. O berço de uma geração, momentos que mudaram a história do cinema e notas musicais que ainda hoje ecoam pelos corredores são algumas das histórias guardadas pelas paredes dos hotéis que aqui lhe apresentamos.

Visite os hotéis que povoam a literatura, o cinema e o imaginário de gerações:

1. Belmond Hotel Cipriani em Veneza

Imagine que está recostado numa gôndola enquanto percorre os canais desta cidade, onde o amor paira no ar, como se o amante mais famoso de todos os tempos ainda serpenteasse as ruelas em busca de novas conquistas. Casanova, contado no cinema e na literatura, dá também o nome ao spa deste hotel, cujos jardins foram o local onde o lendário apaixonado marcava os seus encontros amorosos.

Faz, por isso, todo o sentido que as estrelas de Hollywood visitem o Cipriani, como é o caso de Charlize Theron, Catherine Zeta Jones e George Clooney. No Belmond Hotel Cipriani, em Veneza, em Itália, o preço começa a partir de 930 €/noite. Para mais informações, consulte o site www.hotelcipriani.com.

6 hotéis que povoam o imaginário de gerações

2. The Dorchester em Londres

Erigido em 1931, albergou o quartel-general do presidente norte-americano Dwight D. Eisenhower em 1942, ouviu os arranjos musicais do lendário Louis Armstrong enquanto este ensaiava na sua suite e testemunhou a festa que o magnata Aristóteles Onassis organizou em homenagem a Maria Callas. Recebeu também os The Beatles, um dos grupos mais populares de sempre, para uma entrega de prémios.

Foi ainda o local onde Al Pacino deu entrevistas sobre a sequela de «O Padrinho» e Elizabeth Taylor aceitou interpretar Cleópatra. Mais recentemente, vimo-lo na comédia romântica «Wimbledon». O preço de pernoitar neste local, localizado em Londres, em Inglaterra, ronda os 480 €/noite. Para mais informações sobre o hote The Dochester, visite o site www.thedorchester.com.

6 hotéis que povoam o imaginário de gerações

Veja na página seguinte: O hotel que inspirou Federico Fellini

3. Grand Hotel Rimini em Rimini

Lugar de eleição da alta-sociedade no início do século XX, povoou os sonhos de infância de Federico Fellini. Alcançar o sucesso profissional foi uma oportunidade para os realizar e as suas estadias no Grand Hotel Rimini, em Rimini, Itália, foram frequentes. Aliás, relata-se que foi na sua suite preferida que Federico Fellini teve o colapso que o levaria à morte.

Ao longo da carreira, mostrou várias vezes o hotel nos seus filmes, destacando-se «Amarcord». Em frente ao estabelecimento, está o Parco Federico Fellini, uma homenagem ao cineasta. Para reviver algumas destas histórias neste espaço, conte gastar a partir de 160 €/noite. Para mais informações, consulte o site www.grandhotelrimini.com.

6 hotéis que povoam o imaginário de gerações

4. Chateau Marmont em Los Angeles

Localizado em Los Angeles, nos Estados Unidos da América, é considerado um templo do hedonismo. Este luxuoso castelo tem vista sobre a cidade que foi palco de momentos marcantes da história do cinema mas também dos mais extravagantes escândalos das estrelas. Foi um dos cenários do filme de Sophia Coppola, «Somewhere». Além disso, apareceu na série «Californication».

Vários relatos contam que foi onde James Dean fez a audição para o filme «Fúria de Viver». Por entre os seus amigos lendários, como o hotel lhes chama, contam-se Sophia Loren, Marilyn Monroe, Humphrey Bogart e, a marcar a atitude rock and roll, os Led Zeppelin. Por uma quantia que ronda os 290 €/noite, poderá passar bons momentos neste hotel. Para mais informações, consulte o site www.chateaumarmont.com.

6 hotéis que povoam o imaginário de gerações

Veja na página seguinte: O hotel lisboeta que uma (grande) atriz escolheu para viver

5. Hotel Tivoli Lisboa em Lisboa

Situado no coração da capital, este foi o lugar que conquistou o coração da actriz Beatriz Costa, residente do hotel durante mais de 20 anos e até à sua morte, em 1996. Protagonista de filmes como «A Canção de Lisboa» e «A Aldeia da Roupa Branca», esteve hospedada no hotel enquanto escreveu os vários livros que viria a publicar sobre a sua vida, entre os quais «Sem Papas na Língua» e «Mulheres Sem Fronteiras».

Este é, hoje, um pedaço da história do cinema português e do Portugal que se seguiu à ditadura, da resistência e irreverência de uma geração. Por cerca de 146 €/noite poderá desfrutar deste espaço com história. Para mais informações, consulte o site www.tivolihotels.com.

6 hotéis que povoam o imaginário de gerações

6. Le Meurice em Paris

Das suas janelas pode ver o Jardin das Tuileries, um dos mais belos de Paris e por onde pode aceder tanto aos Campos Elíseos como ao Museu do Louvre. Uma localização privilegiada, à imagem do design interior do hotel e das pessoas que lá pode encontrar. Ao longo dos anos, cruzaram-se o escritor Rudyard Kipling e o realizador Orson Welles, as divas Liza Minelli e Elizabeth Taylor e o tenor Plácido Domingo.

Utilizado no filme «Julia», de Fred Zinnemann, era também o local escolhido por Coco Chanel para a apresentação das suas coleções durante os anos da década de 1930. Para passar uma noite no Le Meurice, deve contar com uma despesa de cerca de 690 €. Para mais informações, consulte o site www.lemeurice.com.

6 hotéis que povoam o imaginário de gerações

Texto: Julie Oliveira