Nunca se falou tanto dos idosos como nos dias de hoje, talvez este seja um dos aspetos positivos que a Pandemia nos trouxe. A realidade dos lares, os efeitos do isolamento e os números de mortes chocaram muitos de nós. Qual o impacto de distanciar das nossas vidas os mais velhos?

O Idadismo é a 3ª causa de discriminação mais comum no mundo e de acordo com a Organização Mundial de Saúde, em Março de 2021 ( The global report on Ageism), uma em cada duas pessoas discrimina os mais velhos “adotando atitudes danosas para a sua saúde física e mental”.

Existem em Portugal alguns movimentos e associações que estão a desenvolver ações no sentido de alertar a população em geral para a violência e o preconceito existente contra os idosos –“Stopidadismo e “Os idosos são valiosos”, são dois exemplos.

A fundação Calouste Gulbenkian e a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima elaboraram, em outubro de 2020, o relatório “ Portugal mais velho” onde identificam algumas das necessidades em termos de políticas públicas e de legislação para o apoio aos mais velhos, assim como, apresentam recomendações e boas práticas relativamente ao envelhecimento e violência sobre esta população.

Quando falamos nos cuidados de saúde à população mais Idosa, algumas das questões que surgem com maior frequência são:

É importante o acompanhamento médico?

O envelhecimento pode ditar a perda de capacidades a vários níveis: cognitivo, físico, social. Deste  modo, em várias instituições de saúde já existe consulta de Geriatria que visa fazer uma avaliação global e com mais precisão das necessidades do Idoso (Avaliação Geriatrica Global). Estão descritos, no documento do Núcleo de Estudos de Geriatria da Sociedade portuguesa de Medicina interna, os objetivos desta especialidade: aumentar a precisão do diagnóstico; tornar o prognóstico mais correto; diminuir o risco iatrogénico  (interação de vários medicamentos, resultante da prescrição de várias especialidades médicas); facilitar condutas preventivas; orientar a escolha das intervenções; adequar as medidas assistenciais; facilitar o acompanhamento e melhorar a qualidade de vida.

A avaliação é realizada por equipa multidisciplinar (médico, enfermeiro, fisioterapeuta ou enfermeiro de reabilitação) e sustenta-se, inicialmente, na aplicação de instrumentos de Avaliação Geriátrica Global ( escalas creditadas a nível nacional e internacional) e nos resultados obtidos por estas.

Sinto que cada vez estou mais esquecido, será que tenho Alzheimer?

Quando se fala em perda de memória ou esquecimento, em pessoas idosas, pensa-se, na maioria das vezes, em demências. É natural perder capacidade de memória com o envelhecimento. No entanto, esta situação também poderá estar relacionada com outras doenças associadas ou até com alguma medicação em curso.

Deste modo, é importante fazer avaliação do Idoso, em consulta de memória, para um melhor diagnóstico e ajuste terapêutico. O acompanhamento por profissionais de saúde é essencial para aplicar estratégias capazes de melhorar ou atrasar esta dimensão cognitiva, através de atividades que promovam o envelhecimento ativo.

O que posso fazer para me manter ativo?

-  atividade física regular, que pode passar por caminhadas diárias;

- o convívio social – falar com outras pessoas, trocar ideias;

- jogos que estimulam a memória : jogo das diferenças, palavras cruzadas  e sudoku;

- atividades culturais, como o teatro, concertos e cinema;

- frequentar Universidade Sénior ou optar por aprender uma nova língua;

- contar histórias ou até escrevê-las;

-Iniciar e/ou dar continuidade a um diário;

O “olhar “sobre os idosos traz ao de cima o nosso lado mais Humano, por sentimento de culpa ou porque fica claro o futuro de cada um de nós?

Qualquer que seja a resposta a esta pergunta, implica ação. Existe ainda um caminho que a sociedade tem que percorrer no sentido de mudar mentalidades e criar estratégias direcionadas para a proteção e cuidados aos idosos em Portugal.

Um artigo da enfermeira Fátima Parreira, responsável pela Consulta de Enfermagem de Apoio Geriátrico do Hospital CUF Descobertas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.