Uma mulher de 31 anos chegou ao Hospital de São João no domingo com o ombro fraturado, tendo sido internada e estando a aguardar cirurgia cirurgia desde então por falta de material hospitalar.

"Na terça-feira, a utente foi preparada para cirurgia, aguardou, mas no último momento foi-lhe referido que não poderia ser intervencionada por falta de material. Ontem, quarta-feira, a utente voltou a aguardar todo o dia o encaminhamento para cirurgia, sendo que às 17h00 não tinha ainda comido, aguardando a cirurgia, mas o dia chegou ao fim sem que esta se concretizasse. Hoje, 21 de julho, continua a aguardar cirurgia", pode ler-se no documento.

Desta maneira, o Bloco de Esquerda realçou que “urge perceber como é possível que num hospital - mais ainda num hospital com a diferenciação do Hospital de São João - possa ocorrer uma falta de material que deixa em suspenso uma cirurgia durante quatro dias, com evidente transtorno para a utente e para o seu bem-estar”.

Leia também: As frases mais ridículas ouvidas pelos médicos

Saiba ainda: 12 sintomas que nunca deve ignorar

“É fundamental aferir o que subjaz a esta falta de material bem como conhecer quantas cirurgias estão a ser adiadas por motivos semelhantes no Hospital de São João e o que está a ser feito para resolver esta situação”, declarou o Bloco de Esquerda.

Neste sentido, o grupo parlamentar bloquista questionou qual o material em causa, que medidas foram tomadas para responder a esta situação e quantas cirurgias ficaram por efetuar, bem como se se trata de uma situação recorrente.

A Lusa contactou o Hospital de São João, mas não obteve resposta em tempo útil.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.