Uma equipa de especialistas do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade de Coimbra (UC) venceu a edição de 2018 do Healthcare 2020, da FLAD, no valor de 20 mil euros, apoio que permitirá “iniciar uma colaboração” dos cientistas envolvidos no projeto com um grupo de investigação nos Estados Unidos da América (EUA), foi hoje anunciado.

13 truques simples para combater o stress
13 truques simples para combater o stress
Ver artigo

O projeto distinguido pretende “estudar como a mitocôndria (organelo responsável pela maioria da energia produzida nas células) regula o modo como o corpo responde a vários stresses fisiológicos, incluindo dieta e exercício físico, nomeadamente através da libertação de pequenas moléculas ao nível hepático e muscular”, refere a UC, numa nota enviada hoje à agência Lusa.

As moléculas atuam em diversos “alvos importantes nas células, traduzindo-se em vários efeitos benéficos, como o combate aos efeitos da obesidade e do envelhecimento devido ao seu papel na regulação do metabolismo celular”, acrescenta.

Ainda se conhece muito pouco sobre a regulação da libertação destas moléculas e da sua possível utilização clínica em vários tipos de patologias, mas, sublinha a UC, “sabe-se que elas são codificadas pelo ADN da mitocôndria, o que constitui um avanço recente na pesquisa mitocondrial”.

“A investigação na regulação no metabolismo das células pela mitocôndria tem tido avanços notáveis nos últimos anos, sendo o projeto atual muito relevante para o desenho de novas terapias e para compreender o processo de adaptação mitocondrial a vários stresses fisiológicos, nomeadamente alimentação deficiente ou, em sentido contrário, ao exercício físico”, explica o coordenador do projeto, Paulo Oliveira, citado pela UC.

“Com este apoio muito importante da FLAD conseguimos iniciar uma colaboração com um grupo de investigação nos Estados Unidos, que é possivelmente a maior referência na área, permitindo aumentar a internacionalização do CNC e da UC e contribuir igualmente para a formação avançada de jovens cientistas que terão a oportunidade de se deslocar a este país e participar em atividades científicas comuns”, salienta Paulo Oliveira.

A FLAD Healthcare 2020 apoia programas científicos de centros de investigação portugueses da área da saúde, realizados em colaboração com centros de investigação dos EUA, com o objetivo de “incrementar a rede de conhecimentos entre os dois países, facilitando o desenvolvimento de intercâmbios e parcerias institucionais”.

O estudo vai ser realizado em cooperação com um grupo de investigação da Faculdade de Gerontologia Leonard Davis da Universidade do Sul da Califórnia, sob a orientação de Pinchas Cohen.