A vacina em causa chama-se Soberana 02 e é uma das quatro que Cuba está a desenvolver para imunizar a sua população.

Hoje, o investigador italiano Fabrizio Chiodo, que trabalha no projeto com o Instituto Finlay de Vacinas, em Cuba, disse, numa conferência virtual, que a vacina "é muito segura" e deverá ser administrada a pessoas entre os 35 e os 80 anos, primeiro em Cuba e depois "provavelmente" em outros países.

Prevê-se que a farmacêutica cubana Biocubafarma produza 100 milhões de doses desta vacina assim que os resultados dos testes clínicos finais atestem a sua eficácia e segurança.

O desenvolvimento da Soberana 02 contou com a colaboração de investigadores estrangeiros, mas o financiamento é assegurado por Cuba, sendo uma vacina 100% pública e produzida sem fins lucrativos, assinalou Fabrizio Chiodo, citado pela agência noticiosa espanhola Efe.

Em janeiro, o Instituto Finlay de Vacinas anunciou que Cuba iria testar no Irão o seu projeto de vacina mais avançado, Soberana 02.

Cuba, que tem baixa prevalência de covid-19, espera imunizar a sua população ainda no primeiro semestre deste ano.

A pandemia da covid-19 provocou, pelo menos, 2.486.116 mortos no mundo, resultantes de mais de 112 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência noticiosa francesa AFP.

A covid-19 é uma doença respiratória causada por um novo coronavírus (tipo de vírus) detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.