Investigadores de estatística das universidades de Tilburg e Roterdão analisaram dados das últimas três décadas de uma amostra de 75.000 holandeses, começa por revelar John Einmahl, um dos três cientistas que dirigiu o estudo.

"Em média, hoje vivemos mais tempo, mas os que têm mais idade não envelheceram mais nos últimos 30 anos", explicou à agência de notícias France Presse John Einmahl.

"Certamente há uma espécie de muro na idade", continuou o cientista. Mas "evidentemente a esperança de vida aumentou", indicou, observando que o número de pessoas que chegaram aos 95 anos na Holanda quase triplicou na última década. "No entanto, o teto em si não mudou", concluiu.

Veja ainda: Estes são os lugares onde se vivem mais anos

Os resultados deste estudo holandês surgem depois de dados publicados por um grupo de cientistas nos Estados Unidos, que determinou um limite similar no ano passado. Einmahl e os seus colegas demonstraram que a longevidade máxima não apresentou quase nenhuma flutuação nas últimas décadas.

O investigador acrescentou, no entanto, que ainda havia algumas pessoas que eram exceção à norma, como Jeanne Calment, o ser humano que viveu mais anos entre as pessoas cuja data de nascimento foi certificada. A francesa morreu em 1997, aos 122 anos e 164 dias de idade.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.