Esta segunda-feira, dia 18 de setembro, Tony Carreira voltou a falar sobre a queixa do Ministério Público que o acusa de ter plagiado 11 músicas de autores estrangeiros.

O cantor esteve no Jornal das 8 da TVI, onde afirmou que está a ser alvo “de uma pessoa que não olha a meios”.

“É uma vingança pessoal de alguém que não deve ter um bom íntimo”.

De acordo com o relato do músico, o mau estar com o responsável pela Companhia Nacional de Música começou há dez anos atrás quando o responsável pela editora lançou um CD, interpretado por Miguel Oliveiro, com covers das suas músicas.

Na época, Tony colocou um processo contra a editora e os discos acabaram por ser retirados do mercado. “A justiça deu-me razão e a partir desse momento este senhor nunca mais me largou.”

“Está atentar denegrir a minha imagem, prejudicar-me”, afirmou o artista, que assumiu o erro que cometeu no passado e o justificou com a sua falta de experiência.

“Nos anos noventa, por falta de experiência, lancei canções que são parecidas com o original, não vou negar isso”, começou por dizer. “Não fujo à minha responsabilidade, mas já assumi essa responsabilidade há oito anos trás”.

No seguimento da entrevista, Tony Carreira voltou a falar sobre o autor da queixa que deu origem ao processo do MP e contou que foi tentado a resolver o problema com um acordo de 30 mil euros.

“O objetivo eu já o percebi e já o identifiquei há muito tempo. Na última conversa, esse senhor queria 30 mil euros e o processo ficava por aqui”, afirmou. “A resposta que eu dei foi que já ajudei muitas instituições e algumas pessoas, agora que eu sabia o senhor não representa uma instituição de caridade. Não lhe devo nada e não lhe vou pagar nada.”, concluiu.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.