Vivemos num mundo rodeado de tecnologia e vários estímulos visuais que roubam, por vezes, demasiada atenção às crianças. Mas se há um estímulo bom que podemos incutir nos mais novos é o da leitura.

O ideal é começar com um livro simples e com ilustrações bonitas ou por um que vá ao encontro das preferências da criança. A verdade é que só experimentado é que, aos poucos, pode implementar este bichinho da leitura, que tem de ser alimentado com regularidade.

Como a infância passa a correr e há sempre aprendizagens e conhecimentos que temos de levar para a vida adulta, sugerimos, abaixo, sete livros clássicos obrigatórios na prateleira de qualquer bom leitor.

Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, 1865

Alice no País das Maravilhas é provavelmente o livro de fantasia mais famoso do mundo. Nesta aventura, Alice cai numa toca onde encontra personagens inesquecíveis como o Coelho Branco, que anda sempre atrasado, o Gato de Cheshire, o Chapeleiro Louco, ou a Rainha de Copas, uma monarca com mau feitio e com muito apetite por decapitações.

As Mulherzinhas, de Louisa May-Alcott, 1868

As irmãs Meg, Jo, Beth e Amy conhecem algumas dificuldades depois da partida do seu pai para a guerra e dos problemas económicos que a família enfrenta. Uma história em que o amor e a coragem se revelam mais fortes do que todas as dificuldades que estas quatro raparigas, juntamente com a sua mãe, têm de enfrentar.

O Principezinho, de Antoine de Saint-Exupéry, 1943

O narrador da obra é um piloto com um avião avariado no deserto do Sahara, que tenta desesperadamente reparar os danos causados no seu aparelho. Um dia, os seus esforços são impedidos devido à aparição de um pequeno príncipe, que lhe pede que desenhe uma ovelha. Perante um pedido tão misterioso, o piloto não se atreveu a desobedecer e pegou num pedaço de papel e numa caneta e fez o pedido.

E assim tem início um diálogo que expande a imaginação do narrador, numa história sentida sobre a tristeza e a solidão, dotada de uma filosofia poética, que revela algumas reflexões sobre os valores da vida.

Os Contos dos Irmãos Grimm, 1812-1857

Os irmãos Grimm foram os autores de histórias que marcaram dezenas de gerações e que continuam presentes no imaginário dos mais novos. A primeira publicação remonta a 1812, a que se seguiram muitas outras. Atualmente, encontra coleções que reúnem todos esses contos num único livro.

As Aventuras de Robin Hood, de Alexandre Dumas, 1872-1873

As aventuras de Robin Hood, de Alexandre Dumas, foi o primeiro livro a trazer a público as peripécias de Robin Hood - o fora da lei que rouba aos ricos para dar aos pobres – e do seu bando dos alegres homens da floresta, que partem em aventuras em busca de justiça e igualdade.

O Meu Pé de Laranja Lima, de José Mauro de Vasconcelos, 1968

Do Brasil, chega o romance “O Meu Pé de Laranja Lima”, que conta a história de um menino de 6 anos. Zezé é um rapaz travesso, proveniente de uma família pobre do Rio de Janeiro, que, carente do afeto que não encontra junto do pai e da mãe, começa a desabafar com um curioso novo amigo - um pé de laranja lima a que dá o nome de Xururuca.

Contos de Andersen, de Hans Christian Andersen, 1835

Autor de mais de 150 contos como “O Soldadinho de Chumbo”, “O Patinho Feio” ou “O Fato Novo do Imperador”, Hans Christian Andersen tem atualmente, à semelhança dos irmãos Grimm, as suas obras intemporais compiladas em livros únicos. Uma leitura obrigatória para qualquer jovem leitor.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.