A obra, que vai abranger os atuais 23 mil utentes das freguesias da Malveira/São Miguel de Alcainça, Milharado e Venda do Pinheiro/Santo Estevão das Galés, substitui as unidades de cada uma das três zonas, "cujas instalações, para além de exíguas, não dispõem de condições adequadas à prestação de um serviço de qualidade", refere o município em nota de imprensa.

Além disso, as instalações são alugadas e precárias.

A nova extensão de saúde vai ter capacidade para 30 mil utentes, divididos por duas Unidades de Saúde Familiar, que vão ser criadas quando o edifício entrar em funcionamento.

Orçada em 1,5 milhões de euros, é suportada em cerca de 831 mil euros pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) e o restante cabe ao município, que cedeu também o terreno para a obra, a erguer junto ao posto da GNR da Malveira.

A câmara municipal adiantou que o novo edifício vai dispor de gabinetes de consulta, de enfermagem, de saúde infantil, de vacinação e de planeamento familiar, assim como salas de tratamento.

O projeto contempla ainda uma área polivalente, destinada à prestação de cuidados continuados e de cuidados médicos no âmbito da psicologia, inaloterapia, saúde oral e podologia, e outra para fisioterapia, com sala de movimento e gabinetes de fisioterapia, de terapia ocupacional, de avaliação e de cinesioterapia.

O concurso decorre até 16 de maio e prevê um prazo de construção de cerca de um ano, a contar da adjudicação da empreitada.

Em setembro de 2015, a autarquia celebrou com a ARSLVT um contrato-programa, que estabelece não só a repartição dos encargos entre as duas entidades, como também a cooperação técnica financeira.

Com o acordo, a ARSLVT transfere para a câmara a sua comparticipação e a responsabilidade de lançar concurso para a obra, acompanhar a sua construção e executar os arruamentos, estacionamentos e arranjos exteriores do edifício.

Ainda este ano, o município deverá lançar um concurso para a construção de um novo centro de saúde na vila de Mafra, sede do concelho, no valor de 1,6 milhões de euros.

Essas instalações, que se estima virem a estar concluídas também até ao final de 2017, vêm substituir também as atuais, que são velhas, não têm condições e pertencem à Santa Casa da Misericórdia.

A unidade de Mafra serve 19.500 utentes e, além de gabinetes para consultas de saúde, vai dispor de Serviço de Atendimento Permanente e vai ser a sede da saúde pública concelhia, da Unidade de Cuidados na Comunidade e na Unidade de Recursos Assistenciais Partilhados.

O Centro de Saúde de Mafra possui ao todo 67.600 utentes espalhados pelo concelho.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.