Existiu uma necessidade

O primeiro passo na criação da Reorganiza foi detetar uma necessidade clara do mercado. Percebemos que existia esta necessidade ao conhecermos muito bem um determinado nicho de negócio. Era o nicho onde nos movimentávamos e cujas regras de funcionamento já conhecíamos bastante bem.

Para o seu caso concreto, deverá conhecer quais as suas competências e perceber no universo onde se rodeia se pode colocar essas competências para rentabilização. De pouco vale aventurarmo-nos em mercados que não dominamos, pois com grande probabilidade iremos sucumbir à concorrência…

Um plano de negócios breve

Olhamos para tudo o que se escreve de empreendedorismo e percebemos o foco que é dado ao plano de negócio. É preciso ter um plano de negócio com pés e cabeça. Mas também é sabido que projeções valem o que valem. Podemos colocar uns números muito bonitinhos no Excel mas é fundamental começar a andar. Reunir as melhores pessoas, trabalhar e adaptarmo-nos à realidade.

Neste contexto, sugerimos que seja realista e talvez um pouco pessimista. Ter uma margem de segurança para acautelar erros de previsão e para nos defendermos das oscilações do mercado. Adicionalmente, ser algo pessimista pode-nos baixar as expetativas em termos de retorno. Ou seja, não acharmos que vamos enriquecer ao fim de pouco tempo, pois como sabemos muitas empresas vão à falência passado pouco tempo de terem sido criadas.

Reunimos os melhores sócios

Conhecedores da realidade e das nossas competências, fomos procurar os melhores sócios. E aqui não nos focámos em encontrar os Einsteins da nossa área. Quisemos escolher as melhores pessoas e tivemos como segundo critério o domínio da sua atividade. Pode parecer um lugar-comum mas nesta área (como em muitas outras) o principal fator de sucesso são as pessoas. Termos boas pessoas, trabalhadoras, sérias e honestas. As capacidades técnicas são importantes mas aprendem-se e melhoram-se. Ser boa pessoa é mais difícil.

Os colaboradores fundadores da Reorganiza foram todos sócios. Cada qual no seu “Poleiro” e com as suas competências próprias. Mas o mais importante, todos tendo uma fatia da empresa, que é sua e cujo sucesso é também do próprio (faz toda a diferença não faz?).

Começámos a trabalhar

Depois de passarmos os passos atrás… começámos a trabalhar. Muitas horas. Muita dedicação. Muito trabalho e muita criatividade. Tivemos a vantagem de o mercado estar a reagir bem no nosso segmento de negócio (Combate à Iliteracia Financeira, Crédito Consolidado e Renegociação de Dívidas). Tivemos alguma “sorte” mas constatámos que quanto mais trabalhávamos mais sorte tínhamos.

É certo que a Reorganiza contava com diversos ativos. Tínhamos uma equipa de profissionais experientes. Um site de conteúdos financeiros de grande qualidade. Livros publicados e a confiança de alguns clientes… e isso fez com que o investimento inicial tenha sido muito reduzido. E obrigou-nos a ser mais eficientes…

Depois surge o Dr. Finanças

Com o tempo tivemos o privilégio de conhecer mais de perto os promotores do principal software de gestão de finanças pessoais em Portugal. Os promotores do Boonzi vieram ensinar-nos muita coisa. Aprendemos muito e pudemos lançar em conjunto o Dr. Finanças, uma marca que procurou descomplicar os temas de finanças pessoais e tratar a saúde financeira como o médico trata da saúde corporal.

Algumas lições que retirámos

Passados dois anos de aprendizagem, pudemos constituir uma equipa com mais de 25 colaboradores em diversos departamentos. E retirámos algumas lições que gostaríamos de partilhar:

  • Ter os melhores ao nosso lado faz toda a diferença;
  • O trabalho traz sorte e a sorte dá muito trabalho;
  • Critério nos investimentos feitos – Ter pouco dinheiro ajuda a ter critério;
  • Devemos procurar ter sempre uma estrutura de custos adequada e premiar as pessoas que fazem crescer a empresa;
  • Procurar parceiros de confiança e que possam crescer connosco em relações em que todos ganhamos;
  • Devemos ter cuidado com as modas. Por vezes os negócios tradicionais feitos de forma inovadora são melhores apostas.

O que nos reserva o futuro

Não sabemos. Olhamos para a frente e vemos algumas nuvens de incerteza. Temos a incerteza política. A incerteza económica. A incerteza financeira… mas temos também uma equipa muito ágil que nos vai ajudar certamente a criar valor. A nosso favor temos o facto de podermos criar valor para um mercado muito extenso de pessoas. Continuar a fazer o Bem Bem Feito e continuar a ter muito sorte J

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.