Estar febril não é necessariamente sinónimo de estar doente. A subida da temperatura corporal é um alarme que o nosso corpo dá para indicar que algo não está bem e costuma ser motivada por uma infeção ou pelo combate a um traumatismo ou queimadura. Porém, este é um fenómeno natural e raramente prejudicial se a febre não for excessiva. Regra geral, é tratável com a passagem do tempo e alguns cuidados simples.

A febre costuma durar alguns dias e situar-se entre os 37,6°C e os 42°C. Há que ter em conta que o valor indicado pelo termómetro varia consoante o indivíduo, a zona do corpo em que a temperatura é medida e a altura do dia em que a medição ocorre. É raro ultrapassar os 42°C; caso isso aconteça, pode tornar-se prejudicial e causar danos cerebrais. Nesse cenário, deve consultar o seu médico de família ou pediatra. Deve também fazê-lo se a febre se prolongar por mais de três dias.

A DECO PROTESTE dá algumas dicas práticas para escolher o termómetro mais adequado. A temperatura pode ser medida em quatro zonas.

  • Na boca (só aconselhável a partir dos 5 anos de idade): implica inserir o termómetro por baixo da língua, com a boca fechada, durante dois minutos, sendo o estado febril indicado por valores a partir dos 37,6°
  • Na axila, onde uma leitura de 37,6°C ou mais é igualmente considerada febre: trata-se do método mais prático (adequado para qualquer idade, inclusive para bebés com menos de 4 semanas) e consiste em posicionar o termómetro debaixo do braço, mantendo-o apertado por cinco minutos.
  • No ouvido: adequado para crianças entre 4 semanas e 5 anos, é a forma mais cómoda e também a que apresenta maior margem de erro (aconselha-se a realização de três medições, sendo considerada a que apresentar o valor mais elevado), requer um termómetro especial e revela febre se a leitura for superior a 37,8°
  • No reto: é o método mais fidedigno, considerando-se febre se o termómetro exibir temperaturas a partir de 38°

A febre está associada a sintomas como mal-estar físico, apatia, irritação e diminuição do apetite. Pode também fazer-se acompanhar de calafrios, suores, dores de cabeça, náuseas e diarreia, os quais se devem à(s) doença(s) na origem do estado febril. Regra geral, a causa na origem da febre desaparece após quatro a cinco dias.

Se a temperatura for inferior a 39°C e não se fizer acompanhar de mais sintomas, a febre deve ser encarada com normalidade e é, por norma, tratável com a passagem do tempo e sem medicação ou consulta médica. É aconselhável a ingestão de líquidos e de uma dieta adequada ao apetite do indivíduo febril. Este deve vestir roupa à medida do frio ou do calor que sente. Arrefecer o corpo (por exemplo, com banhos mornos) não contribui para baixar a febre. 

Caso estes cuidados sejam insuficientes para diminuir o desconforto, pode optar pela toma de medicamentos. Recomenda-se a administração de paracetamol ou ibuprofeno numa dose adaptada à idade. A medicação alivia o desconforto, mas não acaba com o estado febril. Assim, desaconselha-se o uso regular, ou a toma simultânea ou intercalada destes fármacos, pois podem atrasar o desaparecimento da febre.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.