Mircea Anghel nasceu em 1986. Filho de pai diplomata, o mundo foi a sua casa. Mircea viveu em mais de 3 países, mas foi o amor que o ancorou em Portugal. Formou-se em Finanças no ISEG e trabalhou 5 anos em consultoria financeira até surgir um projeto pessoal que ia mudar o rumo da sua vida.

Através da transformação de um barco numa cabana para dormir, nasce a marca CABANA. Seguiu-se um período de grandes experiências e aprendizagem (técnica, estética e acima de tudo espiritual), vislumbrando-se aquele que iria ser o seu novo caminho profissional.

O trabalho com a madeira passa a ser a sua paixão. Hoje, no seu Curriculum constam mais de 300 móveis e peças construídas. Parte do seu tempo é ocupado na busca de madeiras interessantes e especiais, como a de barcos antigos ou madeiras com mais de 3 milhares de anos de história, vindas da Europa. A inspiração e o trato japonês com este tipo de matéria ajudaram a construir as suas fundações enquanto artista.

Depois de estar na Comporta, o seu trabalho foi evoluindo e começaram a surgir as primeiras grandes encomendas e colaborações com artistas, como é o caso da Joana Astolfi para a marca Hérmes.

Há dois anos e meio instalou-se no seu atual atelier na Rua Dom Luis I, juntamente com a sua equipa formada por António Motta Carneiro, José Maria Valente e Serign Faye. Aqui, as peças únicas começaram a ganhar mais expressão e procura, ajudando na consolidação como marca e autor.

Mircea Anghel
créditos: José M. Leitão de Sousa

Sustentabilidade e intemporalidade

O projeto LINIE by CABANA.STUDIO assenta principalmente na sustentabilidade e na durabilidade dos materiais. Os objetos podem não ser descartáveis e simplesmente deixados para trás. Tudo se pode aproveitar, tudo pode ser usado para outro fim com outro intuito.

Desta forma, a intenção deste coletivo é que quando um móvel deixar de ser útil, poderá ser trocado por outro que sirva outro propósito, de maneira a haver menos desperdício e uma contínua utilidade das coisas. São adotadas linhas, que durem o maior tempo possível e que se enraízem por diversas formas e feitios na mente das pessoas.

O método LINIE vem no seguimento da filosofia deste studio, questionando sempre a imutabilidade tradicional do móvel, com leveza e sob um olhar contemporâneo através da luz e da irreverência do desenho.

Os móveis são flexíveis e ajustáveis acabando por convidar os interessados a participar no processo, podendo criar novas formas, feitios, tamanhos, medidas, cores e adereços. A sua construção é feita através de elementos modulares independentes que permitem a recriação constante da sua forma e aspeto.

A 1º exposição vai ter lugar em Lisboa

Mircea Anghel
créditos: Nuno Sousa Dias

"Synesthesia" celebra a intervenção do artista convidado Andres Ciccone no projeto mobiliário LINIE by Cabana, que inaugura no próximo dia 25 de julho em Lisboa, no Edifício LACS (Rocha Conde de Óbidos), e que se prolonga até dia 29 de julho.

Para as peças desenvolvidas em Synesthesia, o venezuelano Ciccone aplicou a sua arte sob formas geométricas nos móveis LINIE, criando movimento e efeitos visuais através da posição do próprio espectador, sendo este intensificado com a direção da luz que cria sombras, através das laterais ripadas dos móveis.

O resultado ultrapassa os limites da multidimensionalidade dando origem a ritmo, forma e equilíbrio.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.