Com o crescente aumento dos pedidos de crédito ao consumo por parte pelas famílias portuguesas, e consequentemente o seu endividamento, o Banco de Portugal lançou, no dia 31 de janeiro de 2020, um comunicado onde menciona que, já a partir de 1 de sbril de 2020, o limite de prazo no crédito pessoal passa de dez para sete anos.

Ficam abrangidos pelo novo limite os créditos pessoais sem finalidade específica e com finalidade lar, locação financeira de equipamentos e o crédito pessoal com outras finalidades.

Para além desta recente limitação, se pensa pedir um crédito ao consumo pela primeira vez, saiba os quatro motivos pelos quais este pode vir a ser recusado.

1. A sua taxa de esforço é elevada

A taxa de esforço é o rendimento total do agregado familiar destinado ao reembolso do empréstimo em prestações mensais.

Especificamente, esta taxa corresponde à receita disponível para cobrir as suas despesas diárias (como alimentação, transportes, combustível, educação e lazer), após o pagamento das obrigações mensais com créditos contratados. Para que a sua saúde financeira seja considerada saudável, é importante que esta taxa não ultrapasse os 33%.

Se a entidade a quem submeteu o pedido de crédito compreender que a sua taxa de esforço é demasiado elevada para conseguir assegurar os pagamentos das prestações, é possível que o seu crédito seja recusado.

Como primeiro passo no processo de submissão do seu pedido de crédito, aconselhamos a que calcule a sua taxa de esforço para verificar se é viável ou não fazer o pedido antes de adotar medidas de contenção e redução de despesas.

2. O seu histórico financeiro em termos de crédito

Se não quer sofrer uma recusa de crédito no futuro, certifique-se de que cumpre com os pagamentos das suas dívidas para que o seu nome não seja adicionado à “lista negra" do Banco de Portugal.

As instituições financeiras e entidades bancárias pedem documentação inicial para avaliar os créditos que o agregado familiar tem, para perceber se há incumprimentos e qual a sua capacidade para pagar um novo crédito.

Este documento pode ser visto na Central de Responsabilidade de Crédito, em que se encontram registados todos os créditos concedidos pelas instituições financeiras e detalhados os débitos vencidos e não vencidos, em cumprimento ou não cumprimento.

Para que possa ter uma melhor histórico, amortize as dívidas o mais brevemente possível e regularize os cartões de crédito. Pode ainda fazer um acordo de pagamento com as instituições financeiras para liquidar as dívidas.

Assim que tiver mais folga orçamental, tente de novo pedir um crédito, pois assim terá melhores condições para o ver aprovado.

3. A situação profissional não é considerada estável

A situação profissional é um fator decisivo na hora de aprovar um crédito. De forma a avaliar a sua estabilidade, a entidade bancária ou de crédito considera diversos aspetos como: o tipo de contrato (se tem um contrato a termo certo ou sem termo), há quanto tempo se encontra na empresa atual e há quantos anos exerce atividade profissional. A importância desta avaliação prende-se com a sua capacidade de pagar ou não as prestações relativas ao crédito que lhe for concedido.

Caso trabalhe há pouco tempo na empresa onde se encontra atualmente ou tenha um contrato a tempo certo, um fiador pode ser uma boa solução para si. Pode também optar por fazer o pedido de crédito com outra pessoa que tenha uma situação profissional mais estável, aumentando assim a probabilidade da aprovação do empréstimo requerido.

4. Tem "idade a mais" ou é muito jovem

A idade desempenha um papel muito importante na hora da entidade financeira decidir se está ou não elegível para a atribuição de crédito. Além dos seus rendimentos, este fator é também avaliado, pois é considerado determinante para a capacidade de pagamento das prestações.

Quanto mais novo for, maior a probabilidade de recusa do crédito pedido, pois associa-se à juventude instabilidade profissional e salários baixos. Se tiver uma idade mais avançada, a aprovação pode também ser difícil de conseguir, já que as instituições financeiras se preocupam com o facto de o cliente não conseguir pagar o empréstimo na totalidade.

Se a concessão de crédito lhe foi recusada por uma instituição, provavelmente não será sensato insistir com outra entidade. Nesta fase, identifique os problemas e procure solucioná-los antes de fazer um novo pedido.

Para melhorar a sua situação e aumentar a probabilidade de aprovação do seu pedido de crédito, é importante que adote medidas como:

  • Reduzir as despesas mensais que sobrecarregam a sua taxa de esforço;
  • Acrescentar outro titular ao seu pedido de crédito;
  • Encontrar um bom fiador;
  • Esperar por um vínculo contratual mais estável;
  • Liquidar dívidas antes de fazer um novo pedido.

Se não tem como liquidar as suas dívidas no prazo que gostaria porque está sobrecarregado de prestações, um crédito consolidado pode ser uma solução. Isto vai ajudá-lo a reduzir as suas despesas (uma descida que pode ascender a 60%), o que lhe dará mais margem financeira para fazer face ao dia a dia, mas também para que o financiamento bancário volte a estar acessível.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.