Depois de lançar as gamas profissionais e as figuras mais inspiradoras, a Barbie surge agora com deficiências de locomoção.

O anúncio foi feito ontem, na página do Instagram da Barbie que, em 24 horas alcançou mais de 45 mil "gostos". "Para nós, é importante ouvir os consumidores", afirmou a vice-presidente da Mattel, Kim Culmone.

De acordo com a CNN, o fabricante de brinquedos colaborou com Jordan Reeves, um ativista dos direitos das pessoas com deficiência com apenas 13 anos. Reeves nasceu sem o antebraço esquerdo. A Mattel ajudou a desenvolver uma boneca com uma prótese removível para torná-la mais realista.

A marca também recorreu à ajuda de especialistas do Hospital Infantil da UCLA para trabalhar no projeto da Barbie em cadeiras de rodas.

Kim Culmone faz questão de assinalar que a marca trabalha com pessoas reais para assegurar que a boneca é uma representação fiel da realidade.

Nos últimos anos a Mattel lançou mais de 100 modelos diferentes da Barbie para quer possa representar todas as crianças que brincam com a boneca.

A boneca icónica evoluiu para acompanhar os tempos modernos - é só ir à sua conta no Twitter. Apesar da forte concorrência na indústria de brinquedos, são vendidas todos os anos 58 milhões de Barbies em mais de 150 países.

"Numa indústria onde o sucesso de hoje, em geral, dura de três a cinco anos, 60 anos é uma grande coisa", comenta Nathan Baynard, diretor de marketing da marca da Mattel.

Em todo o mundo, a Barbie é tão conhecida como a Coca-Cola ou o McDonald's, disse Baynard durante uma recente visita ao estúdio de design da Mattel em El Segundo, um subúrbio de Los Angeles.

Ao todo, mais de um mil milhões de bonecas Barbie foram vendidas desde que a sua superestreia na American Toy Fair, em Nova Iorque, a 9 de março de 1959.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.