Michelle Obama esteve à conversa com Gayle King no programa da CBS 'This Morning' onde abordou o polémico julgamento e posterior condenação de Derek Chauvin, o polícia que matou George Floyd.

Embora a decisão tenha sido histórica, a ex-primeira dama dos Estados Unidos realçou que "ainda há trabalho a fazer" no que diz respeito à justiça social.

"Podemos apenas dizer, 'ótimo, aconteceu, vamos seguir em frente'. [Mas] Sei que as pessoas na comunidade negra não se sentem assim, porque muitos de nós continuam a viver com medo quando vamos a um mercado ou preocupados quando levamos os nossos cães a passear e quando permitimos que os nossos filhos tirem a carta de condução", disse Michelle, de 57 anos.

A mulher de Barack Obama confessa que fica sempre preocupada quando as filhas - Sasha, de 19 anos e Malia, de 22 - vão conduzir.

Notícias ao Minuto

Da esquerda para a direita - Malia, Michelle e Sasha Obama
© Cortesia- Obama Robinson Family Archive

"Eles conduzem, mas sempre que vão sozinhas no carro preocupo-me com as suposições que possam ser feitas por alguém que não saiba tudo sobre elas: o facto de que são boas estudantes e raparigas educadas, mas talvez a música estivesse um pouco alta", afirmou.

"Para mim, tal como para muitos pais de filhos negros... a simples ação de tirar a carta de condução deixa os nossos corações amedrontados. Por isso, penso que temos de falar mais sobre isto e de pedir aos cidadãos que ouçam mais, que acreditem em nós e que saibam que não queremos andar aí em manifestações", nota.

Leia Também: Casal Obama saúda veredito, mas diz que "está longe de ser suficiente"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.