Ouça os sinais do seu corpo

O ritmo cardíaco e a qualidade do sono podem indicar o seu tempo de vida

Não é apenas a partir dos hábitos alimentares ou da rotina de exercício físico que se consegue determinar a longevidade.

Existem muitos outros sinais, sobretudo fisiológicos, que podem denunciar o nosso estado de saúde.

Uns deles podem ser indicadores como a frequência cardíaca ou a qualidade do sono, aos quais deve estar atento.

Veja o que dizem os especialistas sobre a relação que existe entre estes sinais e o grau de longevidade:

O ritmo cardíaco


O cardiologista Manuel Carrageta, Presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia, afirma que «existe uma relação entre a frequência cardíaca e a esperança média de vida e que uma frequência cardíaca de base muito elevada é, desde logo, um fator de risco». A justificação é muito clara. «O nosso coração está preparado para bater um determinado número de biliões de pulsações e quanto mais depressa bater, mais rápido se vai esgotar», explica o especialista.

A prática de exercício ao longo da vida a par de uma alimentação saudável é o pilar de um coração são. «Uma atividade física regular ajuda por si só a manter os níveis da frequência cardíaca baixos e constantes, enquanto que um tipo de alimentação adequado vai ajudar a manter um peso saudável e a evitar problemas como a hipertensão arterial e o colesterol elevado, importantes fatores de risco para doenças cardíacas», explica o especialista.

Comentários