Intolerância à lactose

Mónica Pinto, pediatra, responde às principais dúvidas sobre os cuidados a ter face a este distúrbio intestinal na infância

A intolerância à lactose é a incapacidade do organismo em digerir lactose, um açúcar existente no leite e nos seus derivados.

Este distúrbio intestinal, de acordo com a pediatra Mónica Pinto, «resulta da falta de uma enzima, a lactase, que é responsável pela degradação da lactose no intestino delgado. Ao chegar ao cólon intacta, a lactose provoca gases, diarreia, dor abdominal e náuseas».

Apesar de ocorrer «mais na idade adulta», segundo a National Digestive Diseases Information Clearinghouse, «os bebés prematuros são mais propensos a desenvolver esta patologia porque os seus níveis de lactase não aumentam até ao terceiro trimestre da gravidez».

Neste sentido, os pais devem estar atentos aos mais pequenos sinais de alarme e procurar ajuda médica sempre que existirem suspeitas de «diarreia, cólicas, gases ou dor abdominal recorrente», refere Mónica Pinto, acrescentando ainda que no caso dos bebés «pode verificar-se também o rabinho “assado”», após a ingestão de leite.

Quais são as causas da intolerância à lactose na infância?

Pode dever-se à falta congénita da enzima (lactase), o que é raro, ou a situações que causam lesão intestinal como uma gastroenterite aguda, uma diarreia crónica ou uma parasitose que, ao lesar a mucosa, resultam num défice transitório de lactase, secundário à lesão.

Que consequências, a curto e longo prazo, pode provocar no organismo?

Pode causar dor abdominal recorrente, diarreia crónica ou fezes ácidas, causando feridas nas nádegas. Pode ainda fazer com que a criança recuse a ingestão de leite uma vez que provoca náuseas, dor e mal-estar e, consequentemente, reduzir o aporte de cálcio e provocar má progressão estaturo-ponderal.

Comentários