15 ingredientes que nunca podem faltar em sua casa

Além dos produtos típicos de cada época, existem outros alimentos, intemporais, que deve ter sempre na sua despensa, para fazer uma alimentação saudável e por questões de saúde. Saiba já quais são.

É stressante ter de ir à mercearia quando nos aparece uma visita em casa e faltam os ingredientes base para preparar a mais simples refeição. Por isso, além de poupar dinheiro, o facto de ter alimentos essenciais sempre à mão permite confecionar pratos nutritivos e saborosos mais rapidamente após um longo dia de trabalho. E a dieta mediterrânica facilita este processo, já que se trata uma alimentação equilibrada devido à elevada qualidade e durabilidade dos seus ingredientes.

Não é preciso ser chef para saber casar os alimentos entre si e produzir pratos bem apaladados. Se os ingredientes ajudarem a prevenir problemas de saúde, melhor ainda. Descubra, com a ajuda de Patrícia Segadães, nutricionista da Clínica Santos Dumont, quais são os alimentos que deverá acrescentar à sua lista do supermercado. Veja também a galeria de imagens com 5 alimentos e bebidas que fazem menos mal do que aquilo que julga.

1. Bacalhau

Década após década, continua a ser o fiel amigo dos portugueses. «Este peixe tipicamente português é tão fácil de preparar de tantas e variadas formas que não deve faltar no seu congelador», assegura a nutricionista Patrícia Segadães. Protege a visão, a pele, melhora o funcionamento das células nervosas e a função imunitária. Os seus minerais auxiliam na contração muscular e regularizam a função endócrina.

Rico em proteínas de elevado valor biológico e baixo em gordura, o bacalhau contém altos teores de vitaminas e minerais. Deve ser descongelado antes de ser cozinhado. Pode ser feito de mil e uma formas. No forno, cozido ou grelhado, a imaginação é praticamente o limite. Evite, contudo, as formas mais calóricas.

2. Feijão

Baratos, fáceis de preparar e nutritivos, os feijões são dos alimentos que melhor saciam e existem numa grande variedade. Proporcionam nutrientes essenciais ao organismo como proteínas, ferro, cálcio, vitaminas (principalmente do complexo B), hidratos de carbono e fibras. Os feijões secos devem ser demolhados antes de serem cozinhados e, como não têm aditivos, sabem melhor do que os enlatados. Podem ser usados em sopas, para acompanhar com bacalhau ou atum, fazer feijoada e até sobremesas.

3. Frutos secos

Nozes, amêndoas, cajus, pinhões, «as opções são muitas quando falamos em frutos secos, sendo que todos têm em comum o facto de terem propriedades fantásticas do ponto de vista nutricional», afirma Patrícia Segadães. Além de serem compostos por «elevados teores de gordura monoinsaturada e polinsaturada (que auxiliam ao bom funcionamento do organismo)», possuem ainda excecionais quantidades de minerais e vitaminas das quais se destacam as vitaminas B1, B5, B9, B2, E, B6.

A par dessas, fornecem ácido nicotínico, ferro, zinco, magnésio, fósforo, selénio e cobre. Devem ser consumidas apenas as versões cruas, sem sal e/ou açúcar, como lanche a meio da tarde ou da manhã, em saladas, em sobremesas e até em estufados.

4. Tomate

O tomate é um poderoso antioxidante e um anticancerígeno muito forte, combatendo, sobretudo, o cancro da próstata. O consumo regular de tomate reduz o colesterol mau (LDL), e previne ainda o enfarte do miocárdio e o AVC. Patrícia Segadães informa que «os seus constituintes auxiliam a formação da melatonina (a hormona responsável pelo sono)».

Este fruto também é composto por licopeno, um carotenoide antioxidante inibidor das células cancerígenas. Este fruto deve ser conservado no frigorífico durante, no máximo, uma semana. É, geralmente, usado em saladas e para fazer molhos. No verão, consome-se muito como acompanhante de peixe grelhado, geralmente acompanhado por uma salada de alface.

Veja na página seguinte: Outros alimentos a privilegiar na despensa

Comentários