Descomplicar o Vinho do Porto: Os Vintage e os Late Bottled Vintages

O Vinho do Porto é um porta-estandarte do melhor que temos para oferecer, um vinho ímpar que gera apreciadores em todo mundo, um mostruário do talento português, uma amostra de um terroir de eleição. Um vinho excecional e único na natureza que retrata de forma especialmente fiel a monumentalidade do Douro.

Podemos dizer que, a par do vinho da Madeira, o Vinho do Porto é o único vinho português verdadeiramente universal.

Mas no Vinho do Porto só alguns gozam do ambicionado privilégio da fama e reconhecimento. E mesmo entre as múltiplas categorias em que se divide o Vinho do Porto a verdade é que só a família dos Vintage acaba certificada por estas premissas de fama universal.

No Vinho do Porto, os anos não são "declarados Vintage". Nem há "declarações generalizadas".

O que acontece com os Vinhos do Porto Vintage é o seguinte: um produtor escolhe um lote que considera excecional dos seus vinhos. Cerca de ano e meio depois da vindima submete-o ao Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto. O lote é apreciado e se o vinho tiver "características organolépticas de excecional qualidade, [for] proveniente de uma só vindima, retinto e encorpado, [... e tiver], aroma e paladar muito finos" (cito o Regulamento 242/2010), o vinho é aprovado como Vintage. É a glória!

Resumindo, só um vinho é que pode ser "Vintage", um ano não, no entanto chama-se "ano Vintage" ou “ano Clássico” quando as principais casas declaram as suas principais marcas. Hoje em dia, com a moderna viticultura e enologia, pode-se fazer um Vinho do Porto com qualidade suficiente para ser Vintage todos os anos. Assim, quando a quantidade é menor ou quando os interesses comerciais o recomendam, as casas declaram os "single quintas", vinhos de uma só quinta.

Um outro conceito que aparece com alguma frequência é a “split declaration”, quando casas importantes divergem sobre qual dos anos merece ser "clássico".  Foi o que aconteceu em 1991 e 1992, situação que de certa forma se repetiu em 2009.

Os Vinhos do Porto Vintage são provenientes de um só ano e possuem características excecionais, apresentando cor retinta, uma sólida estrutura e aromas e sabores intensamente frutados. São engarrafados algures entre o segundo e o terceiro ano após a vindima e na maior parte dos casos amadurecem muitos anos na garrafa. Esta forma de envelhecimento retira-os à influência do ar, do que resulta uma perda de cor muito mais lenta e a possibilidade de conservarem os seus típicos aromas frutados.

Os Late Bottled Vintages (LBV) são também vinhos de um só ano. O seu nível de qualidade é elevado, com uma boa cor e estrutura, aroma e sabor delicados, mas contrariamente aos Vintages amadurecem em casco entre quatro a seis anos e são depois engarrafados.  Os Late Bottled Vintages são Vinhos do Porto acessíveis, com boa fruta e que podem ser tomados no final da refeição com queijo, frutas e sobremesas de chocolate, preferencialmente.

Na próxima página fique a conhecer sugestões de grandes vinhos do Porto

Comentários