Como evitar uma penhora bancária?

Neste artigo queremos falar-lhe de estratégias para evitar as penhoras bancárias. Será que é possível? O Dr. Finanças tem uma palavra a dizer sobre isso!

Recentemente falámos do aumento das penhoras, tendo abordado apenas as penhoras da Segurança Social. No entanto, o crescente incumprimento de contratos de crédito por parte das famílias portuguesas tem feito disparar as penhoras e as insolvências – por vezes o último caminho ao dispor.

Neste artigo queremos falar-lhe de estratégias para evitar as penhoras bancárias. Será que é possível? O Dr. Finanças tem uma palavra a dizer sobre isso!

Postura permanente de corte de custos:

Se está à beira de uma penhora será certamente porque tem um desequilíbrio no seu orçamento familiar. Possivelmente estará pressionado pela redução do seu rendimento. Ou será provável que esteja a sofrer do aumento dos seus custos. O fundamental, em qualquer dos casos, será manter uma postura permanente de controlo de custos. Saber ao certo onde gasta o seu dinheiro será meio caminho andado para eliminar muitas das suas despesas.

Se não sabe por onde começar, sugerimos que consulte o nosso artigo sobre como acabar com as comissões bancarias

Não ignore os problemas:

Muitos dos nossos pacientes entraram numa situação de excesso de endividamento por evitarem encarar os problemas. O ser humano tem tendência a fugir à dor e ao sacrifício pelo que variadas vezes consideramos que se não virmos o problema é porque ele não existe, esquecendo-nos que o que estamos a fazer é agravar o problema.

Controle o seu dinheiro:

Resumindo os dois pontos anteriores, se construir o seu orçamento com rigor irá conseguir controlar o seu dinheiro pois sabe onde gasta o seu dinheiro, cortar custos e encarar os problemas de frente. Dominar o dinheiro e evitar o consumismo não é assim tão difícil. Mas para tal temos de ser verdadeiros connosco próprios.

Negoceie com o seu banco:

Caso conclua que não consegue pagar as suas prestações financeiras o primeiro passo que deverá tomar será tentar negociar com o seu banco (ou com os vários bancos). Este passo é aparentemente simples mas aumenta de complexidade caso estejamos a falar de vários credores em simultâneo. Se precisar de ajuda contacte-nos que teremos todo o gosto em aconselhá-lo gratuitamente.

Pague o que conseguir:

Caso não consiga pagar a totalidade das suas prestações bancárias pague sempre uma parte. O pior que pode acontecer à sua imagem de bom pagador é não pagar nada ao banco. Vale mais a pena mostrar que quer pagar. Irá continuar a receber contactos para pagar o que deve mas pelo menos já mostrou boa vontade, o que é meio caminho andado para conseguir um acordo vantajoso.

Uma última ideia: nunca desista. Pode parecer que não há uma luz ao fundo do túnel mas diz-nos a experiência que é sempre possível resolver os problemas financeiros desde que os queiramos encarar com confiança e coragem!

João Morais Barbosa

www.doutorfinancas.pt

info@doutorfinancas.pt

artigo do parceiro:

Comentários