Saiba como reduzir as comissões bancárias

Depois de vários anos de contenção, parece que a economia portuguesa está a dar a volta. Com alguns solavancos típicos destes momentos, estamos de volta ao crescimento económico, originando algum otimismo e um sentimento mais positivo quanto ao futuro.

Vivemos um período de otimismo merecido mas que esconde alguns perigos. Estando o problema económico longe de ser resolvido, temos de continuar na nossa postura dos custos desnecessários e da redução do desperdício. Um destes focos reside nas comissões bancárias. Queremos deixar-lhe algumas dicas para reduzir ou mesmo acabar de vez com muitas das comissões que o seu banco insiste em cobrar-lhe:

Estude os seus extratos bancários:

O primeiro passo para acabar com as suas comissões bancárias consiste num estudo minucioso dos seus extratos bancários. É fundamental perceber quais as comissões que lhe estão a ser cobradas – manutenção de conta, transferência, entre outras. Esteja atento, também, à evolução do valor das comissões. Irá reparar que o seu banco terá aumentado o valor das comissões nos últimos meses. Se não se der conta (o mais provável) e se não negociar irá perder muito dinheiro!

Perceba as suas necessidades:

Qualquer serviço deve existir para satisfazer alguma necessidade em específico. Na prática, temos de conhecer quais as necessidades que temos e procurar uma solução. No contexto da sua relação bancária, deverá colocar-se um conjunto de questões:

  • Para que preciso de uma conta bancária?
  • Será que preciso mesmo de mais do que uma conta?
  • Tenho benefícios em juntar as contas da família num mesmo banco?

Procure o melhor banco para as suas necessidades:

Depois de saber as necessidades que pretende ver satisfeitas está em condições de procurar o banco que melhor se adequa ao seu perfil, analisar o preçário dos vários bancos e negociar condições contratuais mais vantajosas.

Enquanto alguns bancos se esforçam por aumentar as comissões outros têm-se procurado distinguir por não cobrar comissões ou por mantê-las a níveis muito reduzidos. Salientamos o ActivoBank, o BancoBest e o BancoBig, bancos que dispõem de uma reduzida presença física e que por esse motivo têm uma estrutura de custos que lhes permite cobrar menos comissões ao mesmo tempo que remuneram os depósitos a prazo com taxas superiores. Atenção. Todos estes bancos são regulados pelo Banco de Portugal pelo que são tão legítimos como os restantes (e alguns com maior solidez financeira que os bancos tradicionais).

Leia mais a página seguinte

Comentários