Pernas cansadas

Plantas medicinais que aliviam este sintoma da doença venosa

As pernas cansadas são o sintoma mais comum de doença venosa, vulgarmente conhecida como má circulação sanguínea das pernas, um problema que afeta um terço da população portuguesa, maioritariamente mulheres.

«Quando as pessoas se queixam da sensação de peso e cansaço nas pernas estão, frequentemente, a referir-se a alterações do retorno venoso», indica Serra Brandão, cirurgião vascular, diretor do Instituto de Recuperação Vascular, em Lisboa.

Segundo o especialista, esta patologia «deve-se à dificuldade de o sangue já usado, proveniente dos membros inferiores, retornar ao coração, o que origina situações de sofrimento das veias».

Fatores de risco

Existem vários fatores de risco para o surgimento da doença venosa. O estilo de vida, a história de doença na família e a idade avançada são os principais. Segundo Serra Brandão, o tipo de profissão pode ajudar ou prevenir a emergência da má circulação sanguínea das pernas.

Explica que «estar parado de pé e ficar muito tempo sentado ou ter as pernas cruzadas são fatores de risco decisivos, por dificultarem a circulação de retorno do sangue ao coração». Importa ainda «estar atento à temperatura da água do banho e evitar a exposição ao calor, seja qual for a sua origem», acrescenta.

Depois existem outras causas, nomeadamente «a obesidade, a utilização de contracetivos hormonais, a gravidez e a terapêutica hormonal de substituição são outros fatores de risco», sublinha ainda.

Sintomas a ter em conta

A sensação de pernas cansadas e pesadas é o sintoma mais prevalente na doença venosa, mas, segundo Serra Brandão, existem outros, tais como dor, inchaço dos pés e das pernas, comichão e cãibras nocturnas. Mais tarde, surgem os sinais que são os derrames, as denominadas aranhas vasculares, ou telangiectasias.

«Se não houver qualquer tratamento, vão surgindo aquelas veias ligeiramente azuladas e a doença vai evoluindo. Desencadeia-se uma dilatação das veias que origina as varizes e, na última fase, a úlcera de perna», sublinha o especialista.

Ver artigo completo

Comentários