O que significa o aparecimento de novos sinais na pele?

Apesar de ser um fenómeno humano natural, nem todas as marcas que surgem são iguais. David Serra, médico dermatologista, explica quais são as que exigem maiores cuidados.

Tendem a surgir do nada, muitas vezes depois dos meses de maior calor. Mas será que são todos perigosos? «O aparecimento de sinais é um fenómeno natural que se observa em praticamente todas as pessoas. Alguns sinais podem já estar presentes desde o nascimento e o normal é surgirem novos sinais ao longo de toda a vida», esclarece David Serra, médico dermatologista na Idealmed – Unidade Hospitalar de Coimbra.

Existem muitos tipos de sinais e há numerosos fatores que influenciam o seu aparecimento com destaque para a genética/hereditariedade e a exposição solar. «A gravidez, a utilização de solários ou a realização de tratamentos de oncologia (radioterapia e/ou quimioterapia) também podem influenciar de forma muito significativa o aparecimento de sinais», sublinha o especialista.

A lista inclui ainda «pessoas com história pessoal ou familiar de cancro de pele, pessoas com muitos sinais, pessoas imunodeprimidas, pessoas com pele clara, olhos claros, com antecedentes de queimaduras solares e/ou com exposição solar excessiva que devem ser vigiadas regularmente», acrescenta ainda o médico, que deixa ainda um conselho.

«Mesmo não fazendo parte destes grupos de risco, importa conhecermos a nossa pele e realizar periodicamente um autoexame de forma a identificar alterações que facilmente passam despercebidas. Em caso de dúvida, será prudente consultar o médico de família ou então consultar o dermatologista para uma avaliação diagnóstica mais aprofundada», recomenda David Serra.

A regra ABCDE

O aparecimento de um novo sinal, diferente dos restantes, sobretudo após os 50 anos, é motivo para procurar aconselhamento médico. Mas não só. A alteração de um sinal ou o seu crescimento rápido, em qualquer idade, justifica a marcação de uma consulta com o médico de família e/ou médico dermatologista. Faça-o caso, ao analisar os seus sinais, identificar alguma destas características:

- A de assimetria

- B de bordos irregulares

- C de cor. A presença de mais do que uma cor na mesma lesão pode ser um sinal de alarme

- D de diâmetro superior a 5 milímetros

- E de evolução. Se o sinal muda de aspeto ou de tamanho, o melhor será consultar um especialista

artigo do parceiro:

Comentários