Não é só o seu filho que precisa de vacinas

Até ao final da infância, a criança deve receber todas as vacinas presentes no Plano Nacional de Vacinação. Mas na idade adulta há imunizações que continuam a ser importantes!

«O grande princípio no que toca às vacinas é o de que devemos vacinar-nos contra as doenças que nos matam», resume o infecciologista Jorge Atouguia. É esse também o princípio do Plano Nacional de Vacinação, graças ao qual doenças como a poliomielite, o sarampo e a difteria foram erradicadas. No que toca aos adultos a única vacina que consta do plano oficial é a do tétano-difteria. A do tétano é, também, segundo Jorge Atouguia, a única vacina que é essencial  ser feita por toda a gente, sem exceção.

É que esta é uma doença que não pode ser nunca considerada erradicada, uma vez que o contágio não se faz de pessoa para pessoa mas, sim, do ambiente para as pessoas.  «As restantes vacinas podemos considerar acessórias, isto é, devem ser feitas apenas nalgumas circunstâncias ou por pessoas  que integrem os chamados  grupos de risco», elucida ainda o especialista. Estas são as vacinas que deve verificar se tem em dia:

- Vacina do tétano-difteria

O tétano é uma doença infecciosa causada pela bactéria Clostridium tetani que produz uma neurotoxina que pode ser fatal. É adquirida habitualmente por contaminação de ferimentos, sobretudo em contacto com ferro e ferrugem. Os sintomas (essencialmente neurológicos, problemas na marcha ou dores articulares) podem surgir até um mês depois, dificultando o diagnóstico. A difteria é uma doença infetocontagiosa provocada pela bactéria Corynebacterium diphteria.

«O número de casos em Portugal é residual ou mesmo inexistente, razão pela qual há quem considere que não se justificaria a vacina estar no PNV e ser administrada juntamente com a do tétano durante toda a vida», afirma Jorge Atouguia. «A favor da administração conjunta está o facto de se saber que quando são dadas em conjunto, as vacinas aumentam a resposta imune do organismo», justifica o especialista. Indicada para toda a gente, deve ser feita de 10 em 10 anos. É gratuita.

- Vacina sazonal da gripe

A gripe é uma das doenças mais antigas da humanidade. Há referências que remontam a cinco séculos antes de Cristo. É causada pelo vírus Influenza e tem maior prevalência entre outubro e março. Mata anualmente, entre 1.200 a 1.800 pessoas em Portugal. O vírus tem grande capacidade de adaptação, por isso a vacina é atualizada anualmente segundo dados epidemiológicos fornecidos pela Organização Mundial de Saúde. Está indicada para pessoas com algum grau de insuficiência respiratória, como a asma.

Também deve ser feita por pessoas com mais de 65 anos, por terem menor capacidade de resposta imunitária. Grávidas e profissionais de saúde também têm indicação para tomar esta vacina. Deve ser feita anualmente, por norma entre outubro e janeiro. É gratuita para pessoas acima dos 65 anos e para doentes integrados na rede de cuidados continuados. Na época gripal de 2014/2015, estiveram disponíveis no mercado quatro vacinas, todas comparticipadas, com preços entre os 2,77 € e os 6,05 €.

Veja na página seguinte: Outras vacinas que os adultos devem levar

Comentários