5 motivos para ir logo ao ginecologista

Muitas mulheres evitam ao máximo as consultas de rotina de ginecologia. Se detetar algum destes sinais de alarme, não hesite em procurar imediatamente um especialista

Muitas doenças ginecológicas são silenciosas, só apresentando sintomas numa fase muito avançada em que o tratamento pode já ser tardio. «Todas as mulheres devem fazer exames de rotina, mesmo antes do aparecimento de qualquer sintoma», recomenda mesmo Fátima Palma, ginecologista e obstetra. Mas há também sinais de alarme que não pode ignorar e que são fortes motivos para procurar um especialista sem pensar duas vezes. Indicamos-lhe cinco. Esteja atenta às recomendações da especialista:

1. Perdas de sangue vaginal

«Perder sangue, sem se estar a tomar contracetivos, fora da altura da menstruação é um sintoma anormal», alerta Fátima Palma. «Podem ocorrer durante a toma da pílula tradicional pequenas hemorragias, por esquecimento da toma, alterações na sua absorção ou no ínicio da sua toma. Se a mulher toma a pílula só com progestativo ou usa um implante contracetivo, os ciclos deixam de ser regulares», podendo ocorrer perdas irregulares.

Uma hemorragia vaginal pode ter diversas causas, nomeadamente traumatismo, lesão do colo do útero, pólipo, mioma (tumor benigno) ou cancro do colo do útero. «A causa mais frequente é, geralmente, uma disfunção hormonal. Caso não seja, há que investigar se existe uma causa orgânica», indica a especialista.

A perda de sangue fora do período menstrual, na idade fértil, «tem na maioria das vezes uma causa hormonal. Já na menopausa, a hemorragia tem, quase sempre, uma causa orgânica, como um pólipo, fibromioma ou carcinoma do endométrio». «Na mulher em idade fértil, uma hemorragia que decorra da relação sexual é muito relevante pois pode alertar para uma lesão do colo do útero que deve ser avaliada rapidamente», sublinha Fátima Palma.

2. Nódulo no peito

O autoexame da mama deve ser feito todos os meses, logo após o fim da menstruação. Permite detetar antecipadamente características anómalas, como nódulos, sendo um aliado contra o cancro da mama, uma patologia muito frequente na mulher e com uma incidência aumentada a partir dos 40 anos. Se, ao fazer o autoexame da mama, detetar um nódulo não entre em pânico.

Como explica Fátima Palma, «há fases em que a mama está diferente devido às alterações hormonais».  «Também pode estar perante um tumor benigno ou um quisto, mas todas estas situações têm tratamento», esclarece ainda. Mantenha-se calma, mas procure, logo que possível, o seu médico de medicina geral ou familiar ou o ginecologista. «Um nódulo pode ser preocupante, mas o médico fará o exame clínico e prescreverá, se achar necessário, uma ecografia ou uma mamografia, consoante a idade da mulher, para despiste de patologia», esclarece Fátima Palma.

Veja na página seguinte: Outros sinais que podem indiciar perigo

Comentários