Dieta anti-desperdício

O melhor pode estar a ir para o lixo. O nutricionista Alexandre Fernandes revela como e porque deve aproveitar cada milímetro dos alimentos
créditos: Prevenir

Já reparou na quantidade de alimentos que deita fora quase todos os dias? Muito provavelmente não terá perdido muito tempo para pensar nisso. Isto inclui, não apenas o que sobra a cada refeição, os alimentos que ficam na travessa ou no seu prato, mas também as cascas, os talos e outras partes que nem chegam a entrar na panela devido ao preconceito da sua utilização ou desconhecimento de que são partes comestíveis e ricas em nutrientes. Está na altura de mudar essa situação.

Para acabar com o desperdício, o nutricionista Alexandre Fernandes decidiu esclarecer os portugueses e lançar um livro de receitas à base de «Cascas, talos, folhas e outros tesouros nutricionais», publicado pela editora Planeta, que é também o segundo de uma trilogia que começou em 2011 com «A verdadeira dieta low-cost», editado pela Livros Horizonte.

Casca de ovo

Se o ovo é considerado um alimento completo, a sua casca não é menos importante. «É muitíssimo rica em cálcio, mineral essencial na formação e construção da massa óssea, e que participa na coagulação do sangue, na excitabilidade neuromuscular, ajuda na frequência cardíaca e é um ativador de vários sistemas enzimáticos», refere o nutricionista.

Para utilizar o pó de casca de ovo nas suas receitas «separe a casca, ferva durante cinco minutos e deixe secar (de preferência ao sol). Triture muito bem no liquidificador e passe por um pano fino. Deve ficar somente com o pó. Utilize uma colher de café nos refogados, sopas, arroz, guisados, molhos, quiches», sugere Alexandre Fernandes.

Casca de fruta

Sempre que possível coma a fruta com casca. «Esta é rica em fibras, que auxiliam o bom funcionamento intestinal, bem como em vitaminas e sais minerais», refere o nutricionista. Depois de bem lavada, a casca de frutos como abacaxi, laranja, banana, manga, maçã, pera, pêssego, papaia bem como a polpa branca da melancia e do melão «podem ser utilizadas em infusões, sumos, molhos, maioneses, sopas, geleias, bolos, doces, ensopados, pães, tortas e bifes.

Conserve-as no frigorífico para serem utilizadas o mais rapidamente possível devido à oxidação das vitaminas ou coloque-as em sacos de plástico e guarde-as no congelador para receitas futuras. A casca da laranja ou do limão pode ainda ser ralada e guardada em frasquinhos no congelador para usar, por exemplo, na confeção de bolos», sugere.

Outras cascas

Depois de bem preparadas e lavadas, as cascas de abóbora, chuchu, pepino, beringela, curgete e cenoura «podem ser congeladas e utilizadas noutras preparações. Se forem utilizadas no dia seguinte podem ser acondicionadas no frigorífico.

Contêm as mesmas propriedades nutricionais que a polpa destes alimentos e podem ser utilizadas em tartes, sopas, pastéis, croquetes, recheios, bolos, pães, patês, saladas, purés, tortas, sanduíches, panquecas, pizas, entre outras», refere Alexandre Fernandes.

Veja na página seguinte: Como aproveitar as cascas de batata

Comentários